APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


segunda-feira, 7 de maio de 2012

A magnitude da subjetividade - Lindonete Câmara




O homem é único, exclusivo, constituído de suas relações sociais, de suas vivências e da própria constituição biológica. Não há duas impressões digitais e muitos menos dois cérebros iguais, pois, cada mente tem sua inerente expressividade e composição. Cada ser age de acordo com seu modo de ver, pensar e sentir. Interessante é que a forma de vermos o mundo, as pessoas e a tudo que nos cerca é uma verdade para nós e muitas vezes considerada uma absoluta verdade. Nessa ênfase,quando generalizamos nosso ponto de vista, erramos por demais!

Quantas vezes não temos noção de quem realmente somos. Que não somos donos da verdade e que a vida é muito mais ampla e complexa do que imaginamos.

Lembremos do Mito da caverna, narrado por Platão, e pense naquelas tão poderosas metáforas esclarecedoras da subjetividade humana. Dentro dessa análise, sei o quanto podemos nos libertar da condição de escuridão que insistentemente nos aprisiona e da isenção desta, através da luz da verdade. Verdades diversas!

Quantos de nós nascemos, crescemos e permanecemos até a morte praticamente com a mesma formação psíquica construida e culturalmente adquirida. Efeito herdado, construido pelos costumes e valores de nossa sociedade, de nossa família e de todas as instituições por nós frequentadas. Devemos incutir a influência de Sócrates e buscar a essência das coisas para além do mundo sensível.

Acredito que o indivíduo não será completamente livre enquanto não conhecer outras verdades e saber que tem o poder da própria transformação.

Reflitam sobre alguém que desde o nascimento ouviu e viveu num mundo de magias, supersticiosidades e curandeirismos. E esta pessoa cresceu vendo o mundo de tal modo, puramente no senso comum, até aparecer alguém e dizer que tudo aquilo é falso ou parcial, e tentar mostrar novos conceitos, outras crenças e outra fé. Foi justamente por razões como essa que Sócrates foi morto pelos cidadãos de Atenas, inspirando Platão à escrita da Alegoria da Caverna. Ou seja, ele instigava as pessoas a pensarem, sair da mesmice e da escuridão. Algemas que nos prendem, correntes que nos amarram e os açoites dessa vida devem ser destruídos. Assim como na caverna existia uma fresta por onde passava um feixe de luz exterior, em nossas vidas há inúmeros caminhos e vertentes que nos libertam. Estejamos atentos!

Temos a ciência, o conhecimento filosófico e a educação entre outros mecanismos de ensino-aprendizagem, como forma de superação da ignorância. Estes nos permitem uma abertura gradativa do senso comum para outra visão de mundo. Nessa ênfase, teremos algo extensivo em nossas mentes. Existe algo diversificado, racional e sistemático, cientifico, que buscam as respostas não puramente no acaso, mas na causalidade e na comprovação dos fatos. Existe também a espiritualidade que liberta aos que têm fé.

Devemos fugir dos calabouços, dizer não aos lugares sombrios e duvidar das verdades acabadas. Não tenhamos pensamentos enovelados e não sejamos cárceres de nós mesmos, e muito menos de outros. A nossa subjetividade nunca será roubada, podemos modificá-la sempre que acharmos necessário e darmos uma nova roupagem as nossas idéias e sonhos. Assim seremos felizes, já que a felicidade deve ser buscada em nosso próprio ser.

Lindonete Câmara