APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


quarta-feira, 12 de outubro de 2011

EVENTO DO DIA 14.10.11 NA CASA DA CULTURA

Show Musical Homenageia Fabião das Queimadas e Zila Mamede

Agendado para o próximo dia 14 de outubro de 2011 [nessa sexta-feira], a partir das
19h30min, na Casa de Cultura Popular Palácio de Inharé, em Santa Cruz, na região
do Trairi do Rio Grande do Norte, o Show “A Ponte” do Cantor e Compositor Dudé
Viana prestará uma homenagem ao “Poeta dos Vaqueiros” Fabião das Queimadas e
à “Poetisa do Mar” Zila Mamede.
A promoção do evento é da Associação dos Poetas e Escritores de
Cordel de Santa Cruz (APOESC), tendo a frente o Cordelista Gilberto Cardoso dos
Santos, um de seus articuladores, e da Casa de Cultura Popular Palácio de Inharé,
por meio de sua Gerente Débora Raquiel. O evento tem o apoio cultural da Clínica
Trairi, do empresário Aderson Leão, que está estimulando o lançamento do último CD
produzido por Dudé Viana, “O Andarilho das Canções”.



“Esta produção cultural está sendo elaborada para unir o sertão ao
mar”, refere-se Dudé Viana a sua intenção de homenagear, no seu show musical, dois
dos maiores poetas potiguares: Fabião das Queimadas, aclamado por Luiz da Câmara
Cascudo em” Vaqueiros e Cantadores” e Zila Mamede, imortalizada no cinema por sua
paixão pelo mar.



Fabião Hermenegildo Ferreira da Rocha, “Fabião das Queimadas”,
como era conhecido, nasceu em 1848, na Fazenda Queimadas, município de Santa
Cruz, e morreu em 1928, em terras onde hoje é o município de Lagoa de Velhos, na
época também era Santa Cruz, e se encontra sepultado no cemitério do município de
Barcelona. Negro, nasceu escravo, adquiriu uma rabeca, e com sua música e poesia,
conseguiu comprar sua carta de alforria, a de sua mãe e de uma sobrinha, com quem
se casou e tiveram 15 filhos. A alforria de sua mãe deixou registrada nos versos
seguintes:

"Quando forrei minha mãe
A lua saiu mais cedo
Pra clarear o caminho
De quem deixava o degredo".

No cenário do palco estarão peças do acervo do museu rural Auta
Pinheiro, que fazem parte do legado de Fabião das Queimadas, o rabequeiro mais
ilustre do Brasil, inclusive objetos do período da escravidão, que servirão para inspirar
Dudé Viana sobre a temática da justiça social, intenção maior do conteúdo do Show “A
Ponte”, um poema de Zila Mamede.

Zila Mamede (1928/1985)


Zila da Costa Mamede nasceu em Nova Palmeira, na Paraíba, em
1928, passou sua infância em Currais Novos/RN e, na adolescência, migrou para
Natal, capital do Estado, onde morreu nas águas do mar da Praia do Meio, em 1985.
Referenciada por homens como Carlos Drummond de Andrade e Manoel Bandeira,
a Poetisa Zila Mamede é, ao lado da Escritora Potiguar Nísia Floresta, uma das
precursoras do movimento feminista nacional.
O poema “A Ponte”, de sua autoria, musicado por Dudé, compõe
a trilha sonora do Curta-metragem “Pegadas de Zila”, do Cineasta Potiguar Valério
Fonseca, e será exibido durante o evento. “Pegadas de Zila” conta com a graciosidade
da interpretação da atriz global Rosamaria Murtinho, que recita e dramatiza poemas
da feminista, em cenas filmadas no Rio de Janeiro.



Eosamaria Murtinho em "Pegadas de Zila"


Venham conferir este evento que une cultura popular com cultura
erudita. Que tenham todos e todas, um grande espetáculo!