APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


terça-feira, 17 de junho de 2014

SEU VOTO DE VALOR E OS VALORES DE SEU VOTO


Maria Mailza Bezerra, natural da cidade de Santa Cruz nasceu dia 14 de Maio de 1979. Funcionária pública. Atualmente trabalha no Teatro Municipal Candinha Bezerra, onde exerce sua função de agente administrativa, na Secretaria Municipal de Cultura. Graduanda do curso de pedagogia da Uva. Amante da Literatura de cordel, sempre gostou de escrever sobre temáticas reflexivas que dizem respeito às questões sociais, políticas, e toda a injustiça que as envolvem.



Seu voto de valor e os seus valores no voto.


Neste ano eleitoral
Eu vim aqui pra falar
Da importância que é
O grande ato de votar
Pois é ele quem decide
Quem é que vai governar.

Instrumento principal
Pra eleger os governantes
Utilizamos o voto
Na escolha dos representantes
Que quando mal feita se torna
Algo muito preocupante.

Mas num país que se cultiva
Eleições financiadas
Vence aquele que tiver
Mais dinheiro na jogada
Viciando assim um povo
De cabeça mal pensada. 

E como ciclo vicioso
Sempre vemos repetir
Os mesmos erros de antes
Sem ninguém nem refletir
A consequência que trás
O voto sem discernir.

Os vilões se encarregam
Cada vez mais instigar
Essa prática danosa
Que está a nos cercar
E que não pretendem eles
Com o vício acabar.

Pra eles é bem mais fácil
Usar da má intenção
Desde que sempre demonstrem
Que foi de bom coração
Aquele ato que comprou
Toda a população.

Essa prática que é tão típica
Desde a velha república
Permanece firme e forte
Não existe remédio pra cura
E não há Lei que se faça
Que político não burla.

Dessa maneira o povo
Sempre vai se acostumar
Que em ano de eleição
O seu voto vai virar
Mercadoria de venda
E leva quem melhor pagar.

Numa nação pouco esclarecida
Isso vira prato cheio
Numa disputa desigual
O fim justifica o meio
Tirando proveito eles
De um povo em devaneio.

Acho muito pessimista
Quando ouço alguém dizer
Que tudo é farinha do mesmo saco
E nada se tem a fazer
Não refletindo sobre quem
Eles botam no poder.

Dessa forma pensam sempre
Que tudo será igual
Tanto faz votar em “cicrano”
Ou em “fulano de tal”
Todos eles vão roubar
E nenhum deles tem moral.

Mas o que a gente não pode
É deixar isso acontecer
Achar que tudo tá perdido
E nada se pode fazer
Pois o poder emana do povo
Basta só ele querer!

Vamos todos nós parar
Pra fazer uma reflexão
Sobre o poder que tem o voto
E que está em nossas mãos
Mudar essa realidade
De sofrimento e opressão.

Vamos ser mais seletivos
Na hora de escolher
Pesquisar sobre a estória
De quem você quer eleger
Conhecer o seu passado
E se faz por merecer.

O voto consciente
É de muita relevância
Escolher bom candidato
E o que não faz lambança
Que  sua ficha seja limpa
E que te passe confiança.

O candidato ficha suja
É aquele cidadão
Condenado na justiça
Por alguma infração
Que cometeu ele no tempo
Da sua administração.

Lavagem de dinheiro
E abuso de poder
Beneficiam a si mesmo
Enquanto pode esconder
E quando são descobertos
Negam o fato até morrer.

É tao desmoralizante
Se pararmos pra pensar
Que uma quadrilha de corruptos
Está um país a governar
Nas três esferas do poder
Sem nenhuma delas escapar.

E a crença generalizada
Por parte da população
Que são todos desonestos
E que não há mais solução
Faz morrer a esperança
De quem na verdade tem a mudança
Na palma da sua mão.

Mas vamos acreditar
Que nem tudo está perdido
É só saber bem separar
O velho joio do trigo
Ainda existe gente honesta
E  também comprometido.

Já tá mais do que na hora
De acordar essa nação
Fazer o povo enxergar
A  sua participação
E acabar de uma vez por todas
Com a subalternação.
  
Optar por um ficha limpa
Já seria um grande passo
Pra você também perceber
Que nem tudo é farinha do mesmo saco
O ficha limpa nada fez
E o ficha suja é processado.

Espero aqui ter deixado
Uma mensagem de reflexão
Sobre a importância do voto dado
Nesses tempos de eleição
E que você não se torne também
Um cúmplice da corrupção.

E com o pleito já bem próximo
Não vamos mais dar espaço
Pra essa gente que só quer
O cidadão ver no buraco
E que eleitor pra ele não passa
Nada mais que um palhaço.