quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Procura-se um perfeito (não prefeito) - Maurício Anísio



Caro Gilberto,


Resolvi, depois de muito pensar, apelar para teu conhecimento, já que tens um blog muito visitado por pessoas decentes e conscientes. Teus leitores e colaboradores são pessoas acima do meu nível intelectual e atualizados na evolução da sociedade. Confesso que parei no tempo. Estou em minha casa, vivendo os meus últimos anos de solidão. 
Como temos uma eleição este ano (já tenho meus candidatos, mas posso mudar) me procure, por favor, um candidato FICHA LIMPA DE VERDADE. Ou seja, sem muitas delongas, que não pertença a Partido FICHA SUJA, que não faça coligação com partido FICHA SUJA. Enfim, eu quero saber onde é que anda este candidato 100% FICHA LIMPA. Se alguém souber, me diga pelo amor de Deus.
Estou doido para conhecer este candidato.

Um abraço do teu amigo,

Mauricio Anísio de Araújo



Veja a resposta a este post em EM BUSCA DA PERFEIÇÃO

27 comentários:

  1. Caro Maurício, deste-nos uma difícil tarefa, mas pretendo responder a tuas indagações.

    Aguarda, pois, minha resposta.

    Abraços, e obrigado pela grande consideração para conosco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Gilberto,
      Vou comentar sua resposta. Não agora, pois, para mim, a tarefa da resposta está mais difícil do que eu pensei quando li tua fabulosa exposição. Desenvolvest com maestria a defesa de Cristo. Para mim, foi uma lição de vida. Sempre aprendendo com voce.
      Depois vamos conversar.
      Um abraço,
      Mauricio.

      Excluir
  2. Amigo Maurício Anísio,

    Que bom me deparar com um texto seu neste blog! Sua breve análise política nos faz pensar profundamente sobre as limitações de nossa "pobre" democracia brasileira.
    Quanto à solidão, você jamais a sentirá, seja pelo carinho da família, seja pelo abraço e afeto dos amigos!
    Aguardamos outras reflexões suas!

    Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Teixeirinha,
      meu afetuoso abraço.
      Muito obrigado pela solidariedade sua.
      Mauricio.

      Excluir
  3. Caro Maurício, não sei se você já deu uma olhada nas propostas dos candidatos (creio que sim), que por sinal são muitas, entretanto é preciso olharmos mesmo para as atuações de cada um deles (pelo que já fizeram ou deixaram de fazer nos segmentos ou cargos que já exerceram em nossa terrinha) mas é preciso que olhemos com os olhos da cidadania, da ética, do compromisso com o bem comum,pois com já diz o ditado popular "de boas intenções, o inferno está cheio", desse modo, podemos sim perceber como a nossa cidade vem sendo administrada há quase doze anos e não é muito difícil concluirmos que muita coisa ficou a desejar: saúde, educação, segurança....Você mais do que eu, que tem uma história de luta belíssima, sabe do que realmente esperamos que os nossos representantes cumpram, realizem. Infelizmente, dizem que a ideologia é uma utopia, mas eu prefiro acreditar que não, caso contrário, direi que nesses doze anos Santa Cruz foi magistralmente administrada, e não foi. Se deixarmos de acreditar que ainda podemos encontrar políticos dignos, honestos e engajados numa política para o povo, estaremos todos encontrando desculpas para utilizar aquele velho jargão "nenhum presta mesmo, assim voto naquele que tem mais chances de ganhar" ou então "voto naquele que roubou, mas fez alguma coisa" e aí todos seremos algozes e vítimas de uma política miserável e perniciosa que há tempos se entranha em nossa cidade. Eu penso que Santa Cruz deveria responder negativamente a quem já teve a oportunidade de melhorá-la e não a fez. Essa é a hora de tentar algo diferente do que já estmaos acostumados há 12 anos e aí só depois podemos dizer se valeu a pena, lembrando o poeta Fernando Pessoa "tudo vale a pena, quando a alma não é pequena".

    Cristiane Praxedes Nóbrega

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga Cristiane,
      meu abraço.
      Eis o dilema. Quem pregou tanto a ética nesse País, (inclusive fiz parte dessa luta, conheci pessoalmente alguns que hoje estão do poder) faz parte dos "mensalões e dos dólares na cueca da vida". Quem defendia com unhas e dentes o salário minino digno para os trabalhadores, institui um miserável salário de 622 reais (vá escapar com ele), quem era contra a compra de votos, corrompe deputados e senadores para aprovação de projetos, quem defendia soluções imediatas para funcionários públicos, leva essa categoria a meses estressantes de greve (uma greve demorada, cansa, estressa, fadiga, revolta, não é?), quem defendia a pureza ideolgica, hoje se lambuza com todos os partidos e polítcos antes demónios, quem defendia uma saúde pública decente, hoje administra hospitais mais parecidos com matadouros, como é o caso dos hospitais federais e o caso específico do hospital estadual do Pará, no governo passado.
      Enfim, minha cara Cristiane, não estou querendo condenar ninguém, apenas despertei do sonho e hoje estou bem acordado, entendendo o que é o ser humano quando chega ao poder. Para mim, tanto faz PT, PSDB, PMDB, DEM, PC do B etc, etc, etc. Voce já notou que todos defendem um mesmo programa de administração para o País. Voce já notou que todos defendem uma boa educação, uma excelente saúde, segurança eficiente? Veja que não há antagonismos nas teses desses partidos. Antigamente era assim: Partido A defendia a coletivização dos bens de produçao; Partido B defendia a privatização e assim por diante. Havia, não só a contradição mas antagonismo de idéias, eram inconciliáveis. Hoje não, se briga um coisinha, mas lá na frente estão todos unidos, se abraçando, indo na casa do antes arqui-inimigo. Hoje, é a paz universal.
      Finalizando, quando vejo essas brigas locais, concluo que não há coerência ideológica de verdade. Porque aqui se condena, lá em cima se absolve. Daí, meu desencanto, e minha procura incessante, daqui pra frente, em busca dos puros de ideias. Eis o meu apelo ao meu amigo Gilberto.
      Cara Cristiane, me desculpe de verdade pela confusão do meu pensamento e me estender tanto na conversa. Só para concluir, tem filhos de presidente que estão hoje bilionários.
      Um abraço do teu admirador,
      Mauricio Anísio.

      Excluir
    2. Amiga Cristiane,
      me ature mais um pouco.
      Não é que me lembrei dum fato local! Mais ou menos há 3 anos, mandaram uma ajuda financeira para que acontecesse a apresentação da peça "Rita dos Impossíveis". Menina, com esse dinheiro, eu consegueria a vinda daquele pessoal famoso de Nova Jerualém (Pe). Não que o pessoal daqui não seja bom de apresentação. São arretados. São bons mesmo. Mas é que eu não tinha visto tanto dinheiro na minha vida. Sabe quando foi? 250 mil reais, 83 mil por noitada. Achei demais.Posso estar errado, repito: posso estar errado, mas achei demais.
      Mauricio.

      Excluir
  4. Diante das palavras de Maurício, sem falsa modéstia, devemos permanecer mais do que nunca ouvintes. Você, Maurício, mais do que qualquer um de nós santacruzenses, conhece as incongruências internas, mas que agora se mostram em toda a sua plenitude, daqueles que alimentaram nossos sonhos de ética e moral na administração da "res publica".

    Desejaria, como você, não ter acordado daquele sonho. Era um sonho muito bonito, mas, fazer o quê? A realidade é dura, mas deve ser encarada tal qual se nos apresenta.

    Entretanto, como sonhar é preciso, guardo agora minhas esperanças no poder da conscientização pessoal de cada indivíduo que formará a geração emergente. Uma nova mentalidade é preciso. Os partidos são todos iguais, exatamente iguais. As pessoas podem ser diferentes. Acredito que a formação pessoal de cada um pode fazer a diferença.

    Obrigado pela sua valiosa participação neste blog, amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dr. Marcelo,
      bom dia.
      Vindo de sua pessoa, o comentário me deixa emocionado. Sei que muitos brasileiros respeitam a geração que contribuiu para esta democracia de hoje. Sua opinião é valiosa, por se tratar de pessoa estudiosa do Direito. Realmente, é preciso sonhar, mas, no meu caso, já sonhei demais. Como se fosse uma religião. Éramos apaixonados pela sociedade futura que defendíamos. Confesso, Dr. Marcelo, que não tenho mais esperanças na raça humana. Sou um descrente. Vou levando a vida e a vida leva eu, como diz Zeca Pagodinho(se não estou enganado). Apesar dessa descrença, mesmo assim, onde estiver, com quem estiver, defendo o bem estar do ser humano, grito contra a fome, contra a miséria humana. Não sei se vale a pena.
      Obrigado, caro Dr. Marcelo.
      Mauricio.

      Excluir
  5. Caro, Maurício, sei que é doloroso despertar desse sonho e vê quem nem sempre aquilo que havíamos acreditado é de fato uma verdade incontestável. As verdades humanas são contestáveis e cada um de nós preferimos acreditar numa ou noutra para que assim possamos encontrar apoio para os nossos anseios e também um significado para as nossas vidas. Contestatar não é ruim, o perigoso é quando deixamos de sonhar um sonho possível. Essa é a minha verdade e é nela que procuro guiar minhas ações.
    Admiro sua pessoa por tudo aquilo que você representou em termos de lutas sociais, eu cresci ouvindo sua história e tenho certeza de que você foi movido por um ideal, por um sonho, você foi uma das pessoas que me levou a acreditar nesse sonho e a levantar ainda hoje essa bandeira.
    Em relação ao governo PT temos muito mais saldo positivo do que negativo (embora vc tenha citado apenas os negativos) em relação aos governos passados, acho que você também pensa assim. Em termos locais, reafirmo o que já disse anteriormente. Sobre corrupção, realmente se alastra como praga em plantação, só que ainda acredito que há alguns que não se contaminam, embora uma grande maioria prefira se agarrar a uma vertente (verdade contestável) que todo poder é corrupto e que todos que dele faz parte também embarca nessa. Pra mim, isso é mais uma estratégia para uma conciliação interior, uma coerência entre o que se diz e o que se faz, entende?

    Maurício, foi muito bom dialogar com você sobre essas questões, isso é saudável, isso é democracia. Um grande abraço.

    Cristiane Praxedes Nóbrega

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga Cristiane,
      Espero não encerrar aqui nosso diálogo educado. Quem sabe um bate papo pessoal, seria mais salutar para todos nós. Apesar de não mais se um estusiasta, como bem sabe nosso amigo Gilberto, mas seria bom para minha conciliação interior.
      Pois bem, quanto apresento falhas profundas vindas da conduta do PT, não estou querendo colocar esse Partido no inferno. Pelo contrário, e voce vai concordar comigo, faço com pesar essas críticas. Pois vindo de outros partidos não de esquerda, essa conduta não nos causa espanto. È por vir de um Partido que cresceu dentro da sociedade brasileira pregando a não corrupção com o dinheiro público, um salário digno para os trabalhadores, educação e sáude públicas justas, não privatização (até agora não desprivatizou nenhuma empresa privatizada pelo PSDB), não aceitação de jogo sujo no Congresso Nacional (compra de parlamentares con funções na administração federal) etc, etc, tudo isso me causa tristeza porque as pessoas passam em meu rosto e não tenho argumentos (a não ser o religioso, que tudo justifica) para defender aquelas idéias que me conduziram a 10 anos de prisão, a mortes de companheiros meus, a exílio de centenas de brasileiros, à destruição de milhares de sonhos juvenis, dos choques elétricos, dos afogamentos, das cadeiras do dragão, do pau-de-arara, das invasões de lares de famílias que nada tinham a ver com luta revolucionária, enfim,de um inferno real aqui em nosso País. Desculpe, minha amiga, não posso me conter diante o passado e aceitar um presente de corruptos e ladrões do dinheiro público com a justificativa de que se avançou muito. O Brasil não foi contruído nos últimos 12 anos. A mulher começou a votar na década de 30, a siderúgica nacional, as leis trabalhistas, as usinas elétricas (tipo Paulo Afonso), a industria automobilística, a industrialização, a aposentadoria rural, o vale gás, a bolsa família, Itaipu, o Plano Real (que o PT não aprovou), enfim, todo o espetáculo na mão humana construindo uma sociedade, existiu antes de nós. Marx, crítico ferrenho do modo de produção capitalista, afirmou que nunca se tinha feito tanto na humanidade como foi feito na era capitalista.
      Amiga Cristiane, não quero justificar minha conduta para ninguém. Sou bastante consciente e seguro do que faça e de quem apoio em Santa Cruz. Não faça para agradar ninguém. Por exemplo, poderia argumentar que Santa Cruz nunca teve um crescimento tão marcante como nos últimos 12 anos. Não se pode negar a presença do fato. Mas isso vem para depois, não é minha amiga?
      Concluíndo, é com pesar que faça essas observações sobre o PT. Não sei o que diz o PSOL nem o PSTU. Devem ser muito mais radicais do que eu.
      Um abraço do aluno,
      Mauricio.

      Excluir
  6. Cara Cristiane, como eu concordei com Maurício sobre o fato de que os partidos são todos iguais, permita-me comentar o pequeno trecho do seu texto, onde você diz “Em relação ao governo do PT temos muito mais saldo positivo do que negativo (embora vc tenha citado apenas os negativos)...”. Fiquei aqui a me perguntar se se justificaria colocar o PT nalgum posto diferenciado dos demais partidos sob o amparo deste argumento levantado. Não seria esta uma versão petista do brocardo “voto naquele que roubou, mas fez alguma coisa”? Penso que, como o ‘FEZ’ não explica e muito menos justifica o ‘ROUBOU’, o saldo positivo não ampara os graves fatos negativos que marcaram a breve história do governo petista, bem como não justifica não rotulá-lo de “igual a todos os outros”.

    Penso também que o saldo positivo não foi mérito do PT, mas consequência do processo histórico de crescimento econômico por que passa o Brasil desde o início no governo de FHC. Tome-se como exemplo os 5 estados (SP, RJ, MG ,RS e PR) mais ricos do Brasil, responsáveis por mais de 50% do PIB, e se verá que pouca diferença houve quanto ao crescimento interno com a alternância dos partidos políticos no poder.

    ResponderExcluir
  7. Muito bem lembrado, Maurício. Na verdade o crescimento do país é um processo bem antigo e, às vezes, enxergamos apenas um passado mediato, como eu fiz ao citar o governo de FHC como o início do progresso econômico. Mesmo em tempos muito difíceis, Vargas trouxe inúmeros avanços ao Brasil como a criação CLT (reconhecimento por lei os direitos trabalhistas que hoje guarnece a classe trabalhadora), a industrialização, a Justiça Trabalhista, o voto direto, o intervencionismo estatal na economia etc.

    Somente em 1973, embora à custa de sangue, suor e lágrima derramados pela ditadura, o Brasil cresceu 14%. Índice de crescimento jamais repetido.

    Convém salientar que o progresso tecnológico mundial, que cresce em escala exponencial e não aritmética, muito contribuiu nos últimos anos no sentido de dá acesso à população mais carente aos bens de consumo. Um dos efeitos deste avanço tecnológico é o barateamento do produto final. Há 20 anos quem tinha uma linha telefônica era rico, hoje ninguém quer de graça. Um automóvel era SONHO de poucos; em 2010, custando mais de 10 vezes menos, o Brasil tinha 64,8 milhões de veículos registrados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dr. Marcelo,
      Muito bem dito. É isso mesmo. Nada a acrescentar.
      Mauricio

      Excluir
  8. Meu amigo Gilberto chamou-me as falas. Falo, então.Fora pelas interpretacões ideológicas, com raras excecões, nossos partidos nunca foram mesmo parte: a pessoalidade, essa heranca lusa e imperial, marcou-nos. Nada mais conservador que um liberal no poder, já se disse. Foi assim que nis construímos e não no modelo ideológico europeu ou no dualismo americano. Com vantagens e desvantagens. Fomos massacrados por duas longas ditaduras: a getulusta e a civil-militar. Mas isso não amaina a longa transicão que nos deu Collor e Sarney. Ė preciso trazer para o cenário a aceleracão capitalista dos anos 80 e a financeirizacão do mundo ocidental. Impossível analisar a política sem o contexto econômico. O capitalismo vem carcomendo a democracia. O PT lulista fez a escolha pragmática. Podia ser diferente? Um pouco eu acho que sim, mas parece purista e inocente achar que o financismo permitiria muito mais. E só se enganou com Lula quem caiu no discurso da mídia que construiu um radical. Sempre foi conservador.

    ResponderExcluir
  9. Maurício e Marcelo, boa retrospectiva que vocês fizeram! Só lamento não terem incluído as boas ações do governo petista.

    Claro, não podemos ser xiitas e afirmar que apenas o PT tem seus méritos, a história do Brasil não foi construída em apenas 12 anos, mas não podemos negar que nesses doze anos o Brasil deu grandes saltos, principalmente oportunizando uma melhor qualidade de vida aos mais humildes. Ainda há muito que fazer, mas não podemos negar esse mérito, mesmo com um salário ainda tão mínimo, hoje um número bem maior de pessoas está tendo acesso a bens materiais, à educação superior, a empregabilidade aumentou, enfim. Isso tudo porque tivemos políticas federais de inclusão, olhemos aqui para Santa Cruz, nos últimos anos: UFRN, IFRN. As pessoas precisam de dignidade, precisam desfrutar das coisas boas que existem no mundo: possuir automóvel, residência, eletrodoméstico, viajar, ter uma formação superior, etc. Não me lembro que em outros governos tantas pessoas tivessem acesso ao que me referi acima.

    Em Santa Cruz, eu gostaria de ter uma gestão PT, reafirmo o que já disse: “essa é a hora de tentar algo diferente do que já estamos acostumados há 12 anos e aí só depois podemos dizer se valeu a pena”. A propósito, por falar em gestão PT, parabenizo o mandato do companheiro Lucicláudio.

    Bom, acredito que cada um tem suas convicções, seu olhar sobre os fatos, seja ele influenciado ou não pelas versões públicas a que nos apegamos, não podemos querer que todos caminhem numa mesma estrada.

    Cristiane Praxedes Nóbrega

    ResponderExcluir
  10. Antes de prosseguir, gostaria de falar da minha satisfação de debater ideias em nível tão amistoso e qualificado.


    Veja bem, Cristiane, não se está aqui negando as benfeitorias advindas ao país no tempo de graça do PT. Ninguém pode negá-las, como não pode negar os feitos apontados no discurso de certo político local. Se o ‘FAZER’ justificasse os “GRAVES ERROS DO PT”, teríamos que estender a concessão para a política local. Se os avanços do governo Lula justificam as más condutas do partido inteiro, levando alguém a votar num candidato apenas porque é do PT, o que dizer contra aqueles que votam no político local citado por acreditarem que ele vai repetir o que já fez?

    O que se está dizendo é que o PT, contrariando seus princípios primordiais, adotou como filha a velha política maquiavélica de que “os fins justificam os meios.”, infelizmente. Se não vale a máxima que diz "voto nele porque rouba, mas faz", igualmente não deveria valer outras como "O PT faz aliança e reparte os ministérios até com o diabo para chegar ao poder", "para conseguir aprovar projetos no Congresso é permitido pagar mensalidades aos parlamentares com o dinheiro público" etc.

    Repito, acredito em nomes, indivíduos, sejam eles de que partido forem. Não é fácil encontra-los. É quase como encontrar agulhas em palheiros, mas existem. Há nomes bons e gente boa no PT, como há noutros partidos. Não há ideologias diferenciando-os. O PT se abraça com QUALQUER UM deles, basta um simples gesto de companheirismo, de cumplicidade.

    Por falar em Lucicláudio, lembro-me que há pouco ele foi vilipendiado pelo próprio PT por querer ser coerente não apoiando aqueles contra os quais se posicionara na campanha anterior. É isso que fazem quando “interesses maiores” são afrontados. Os coerentes são perseguidos simplesmente por sustentarem "Eu não posso dizer isso agora, companheiro, porque há pouco tempo eu disse o contrário.”. Lucicláudio seria o grande político que é até mesmo no DEM. Sua atuação coerente e incorruptível pesa contra o PT que o atacou justamente por isso.

    Nada há mais parecido com um tucano no poder do que um petista!

    ResponderExcluir
  11. Caro Marcelo, também digo o mesmo desse nosso debate e te digo mais estou começando a ver que há convergência em algumas de nossas ideias e fico até um pouco satisfeita agora, com o seu reconhecimento em relação as benfeitorias do PT e de alguns políticos pertencentes a esta sigla e veja que até concordei quando nos disse que o desenvolvimento não era apenas mérito do PT. Só não o vi citar quais foram.

    Mas, na verdade, o que me deixa indignada e que me moveu aos comentários são alguns posicionamentos em relação à política local, essa que nós podemos acompanhar de pertinho, sentir mais do que ooutros as consequências dos feitos administrativos e a partir daí criar as versões públicas desses feitos(entenda, quero deixar claro que falo isso de um modo em geral, não me refiro especificamente aos seus posicionamentos, até porque nunca tivemos oportunidades para conversarmos sobre isso), mas como aquilo que se fala, que se diz, de algum modo, é referência para que o outro construa uma opinião, uma ideia sobre quem fala, quem discursa,comecei, a princípio, projetar uma opinião sobre você e confesso que fiquei um tanto surpresa com o que li em algumas passagens. Mas no desenrolar desse nosso saudável diálogo, vejo que há mais ganhos do que perdas.

    Em relação à Lucicladio, concondo mais uma vez com você. Foi graças a ele e a outras pessoas: Tutu, Bal, Meírisson, Alessandro e outros, inclusive o prórprio Petrônio, que o PT de Santa Cruz pode hoje se dizer livre daquela acusação tão bem lembrada por você: "os fins justificam os meios", caso contrário, companheiro, permita-me designá-lo desse modo, pertenceríamos a essa mesma fauna em que de diferente só tem mesmo os números.

    Vamos tentar mudar e esperar os resultados e aí sim podemos, quem sabe, encontrar mais um que se enquadre na busca do nosso colega Maurício.

    Lembrando o poeta Fernando Pessoa "Sem a loucura que é o homem/
    Mais que a besta sadia/Cadáver adiado que procria?." Gilberto, essa é pra você.

    Tenho dito: a loucura humana é acreditar na raça humana, em poucos, mas ainda assim acreditar. É essa crença/loucura que nos leva a mudanças, assim como a ela se agarrou Maurício Anísio e tenho convicção de que aquela luta não foi em vão, assim como tantas outras na nossa história.

    Cristiane Praxedes Nóbrega

    ResponderExcluir
  12. Não expus posicionamento pessoal em relação à política local. Note que não há ideologia subliminar no meu discurso promovendo A ou B, nem declarando meu voto. Só mostrei que a aparente lógica de “o saldo positivo do PT compensa os erros cometidos”, é bem semelhante ao “rouba, mas faz” da política local. É questão restrita ao campo da coerência da coerência dos argumentos , que, como já mostrei não é bem a praia do PT. Convém ressaltar: acredito em pessoas, não em partidos. A incongruência dos partidos é tão grande que chegam ao ponto de o PT local ser diferente do PT regional (que apoiou Iberê) e do nacional (aquele do mensalão).


    Só para lembrar: na campanha passada trabalhei como advogado da coligação “Santa Cruz é do Povo”, quase sem suporte, abracei a causa e lutei acreditando que o PT era um partido diferente, coerente. Sem suporte, construí pessoalmente as provas e cassei em primeira instância o candidato da situação. Arranjei vários inimigos e não me lembro agora se arranjei algum AMIGO. Não que estivesse em busca disso. Se não havia ficado nada das relações pessoais, pensei, resta-me acreditar na coerência das ideias do partido. Pedi um tempo para pensar na proposta de filiação... Minha esperança morreu no dia em que vi o então presidente local do PT falar barbaridades contra Lucicláudio, lá dentro do meu escritório, porque ele se recusava a seguir os passos de Fátima Bezerra, Mineiro etc. no apoio a Iberê para governador. Ali vi que defender um partido era uma luta sem nenhum fundamento ideológico.


    Por fim, Cristiane, sei que temos mais pensamentos convergentes do que divergentes. Talvez o único ponto divergente seja realmente este: eu não acredito mais no PT (nem no PSDB, PMDB, PSOL...), acredito em pessoas. Penso que uma ou outra delas pode se aproximar mais do que esperamos de um político.

    É isso, valeu pela substancial troca de ideias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vejo que nossas opiniões convergem cada vez mais. Não é apenas pelos saldos positivos do PT que defendo como melhor opção para Santa Cruz o candidato petista, mas também porque acredito que ele de fato seja o melhor para a nossa cidade, eu já afirmei demasiadamente isso.

      Agora, quando nos colocamos a favor de um candidato, estamos abraçando em parte as causas representativas desse partido, não há como fugir, há como não concordar com tudo, como assim fez o próprio Lucicláudio e outros petistas quando se rebelaram ao apoio a Iberê.

      Creio que nunca haverá em nenhuma forma de agrupamento unanimidade completa, porque somos seres subjetivos e nas nossas subjetividades estão também as nossas intenções.

      Mas, passada aquela turbulência, os citados petistas estão todos abraçados a uma mesma luta que é o desejo de eleger Petrônio, e no contexto em que nos encontramos, estranho seria o desejo contrário, principalmente quando temos um representante nosso, que em sua conduta profissional e política não apresenta fissuras, e não me venham dizer que aquela falácia de que ele é candidato copa do mundo, justifica o não voto, também não justifica culpar as falhas do PT (nacional/regional ou até de alguns petistas locais) como um dos motivos para não se votar em Petrônio, assim sendo também não votaríamos em Lucicláudio, afinal ele é petista. É uma questão de coerência, pois se deixo de acreditar completamente em um partido, não tenho como acreditar em algum representante de tal partido.

      Pra finalizar a minha participação nessa "subtancial troca de ideias", penso que não podemos generalizar a ideia de que "nada há mais parecido com um tucano no poder do que um petista".

      Cristiane Praxedes Nóbrega







      Excluir
    2. Dr. Marcelo,
      estou querendo somente ser testemunha de sua opinião sobre a incoerência da teoria e prática dos partidos brasileiros.
      Nas décadas passadas, anteriores aos anos 90, os partidos e seus militantes tinham uma disciplina ideológica firme. Os militantes da ALN, VPR, VAR-PALMARES, PC do B, PCB etc, pensavam e agiam de forma coerente do Rio Grande do Sul ao Amazonas. Se apoiassem determinado candidato a presidente, governador, prefeito ou a outro cargo eletivo, todo o corpo de militantes formavam um só bloco, mesmo divergindo daquele candidato apresentado pelo partido. Lembram-se da posição de Carlos Prestes em relação à candidatura de Getúlio Vargas, em 50? Prestes passou 9 anos em prisão na ditadura Vargas. Sou esposa, Olga Benário, foi entregue aos nazistas por Getúlio e assassinada na alemanha. Sabem qual foi a posição do Partido Comunista, defendida por Prestes, na eleição presidencial de 50? VOTAR EM GETULIO VARGAS. TODOS os militantes do Partido Comunista, mesmo divergindo alguns, acompanharam a decisão nacional do Partido. Isso sim, é coerência Partidária. Prestes não pensou nele, pensou no que Getúlio traria de avanços sócio/ecômicos para o Brasil.
      Hoje, realmente não temos unidade Partidária. TODOS os partidos são assim, hoje no Brasil.
      Mauricio.

      Excluir
  13. Isso é coerência, Maurício. Se estavam certos ou errados em suas posições é outra discussão.

    No Brasil de hoje não sabemos quem é quem, pois pensávamos que estávamos compreendo a diferença ideológica entre partido A e B, eles aparecem misturados na coligação "JUNTOS PARA TODOS GANHARMOS".

    Claro, vale tudo se é para eles ganharem.

    ResponderExcluir
  14. Eu ia encerrar, mas um bom argumento puxa outro e um debate interessante é difícil largar.

    Com a frase “nada há mais parecido com um tucano no poder do que um petista” estou dizendo que não há diferença ideológica alguma entre PT e PSDB (Fique à vontade para mostrar o contrário). A conduta ética e moral de alguns indivíduos dos dois partidos é que podem ser diferentes. O que é que o PSDB fez no poder que o PT não fez? (improbidade administrativa, nepotismo, mensalão, licitação forjada, compra de votos, alianças com ex-adversários, defesa do que antes condenava – CPMF, p. ex. -, ...) Não consigo enxaergar diferenças. Há pessoas boas e honestas no PT? Claro que há! Há pessoas boas e honestas no PSDB? Claro que há! Há canalhas salafrários nos dois partidos? Claro que há! Há diferenças ideológicas práticas (ou mesmo estatutárias) entre os dois partidos? Não consigo enxergar (já li, por curiosidade, os dois estatutos) Quem tem mais canalhas? Sinceramente não sei, aliás, acho que a quantidade deles nem importa.

    Seria capaz, com um pouco de paciência, jornais e revistas de apontar “trocentos” pontos de semelhanças entre tucanos e petistas quando tomam o cetro do poder e sentam no trono. A primeira semelhança é repartir o os tentadores cargos comissionados entre os parentes, amigos e colaboradores de campanha, ao invés de abrirem concurso público para preenchimento de vagas e moralização da administração.


    Outro ponto que não poderia deixar de comentar:
    Você disse: “É uma questão de coerência, pois se deixo de acreditar completamente em um partido, não tenho como acreditar em algum representante de tal partido.” As diferenças são muitas e óbvias. Conheço gente coerente, partido não conheço. Pode haver gente coerente dentro de um partido incoerente. Para ilustrar: é possível que dentro de uma empresa falida, ou que passe a dá calote no mercado, trabalhe muitos indivíduos honestos e coerentes. Penso ainda que os parâmetros ideias que deveriam servir de termostato na escolha de um candidato deveria ser a capacidade de governar, o caráter, a história pregressa, a coerência, nunca a sigla partidária, sob pena de se deixar parecer que A VERDADE POLÍTICA está nas mãos de um pequeno grupo iluminado.

    Reitero o que já disse: não estou defendendo, nem atacando indivíduos, pessoas. Petrônio, Lucicláudio (por você citados) são pessoas, indivíduos, que embora, HOJE, façam parte do PT não carregam consigo necessariamente o estigma que macula a história DOS PARTIDOS políticos no Brasil. Se são pessoas boas e confiáveis não é mérito do partido, mas deles, unicamente deles.

    ResponderExcluir
  15. Caros amigos,
    Dei uma olhadinha nos comentários de vocês e gostaria também de dar a minha humilde opinião:
    Primeiro do que tudo, quero dizer que respeito as preferências ideológicas,partidárias, de candidatos,de todos vocês.
    Agora, quero expressar as minhas:
    Convivi um bom tempo com o PT local e sei que muita gente me via como um petista, coisa que nunca passou de uma mera simpatia, mas que também acabou.O PT é de Santa Cruz é ingênuo. Pelo que observo, com essa ingenualidade nunca chegará ao poder local.É INGÊNUO DEMAIS!
    Só pra dar um exemplo da ingenualidade do "Partido dos Trabalhadores"(?) daqui, digo seguinte:
    Para chegar ao poder da cidade de Parelhas, Francisco do PT com o PMDB de Dr. Antônio Petronilo, sendo eleito seu vice-prefeito por 4 anos, e como apoio do Doutor,foi eleito prefeito.
    Hoje, FRANCISCO DO PT CONCORRE AS ELEIÇÕES DAQUELE MUNICÍPIO SERIDOENSE E VAI SER reeleito prefeito.


    Outro exemplo que vem aqui de perto, mais precisamente da cidade de São Tomé. Lá um professorzinho baixo, chamado Miguel Salustiano vai ser eleito vice-prefeito pela segunda vez, coligado com o partido de Babá.
    Assim o Pt vai se ampliando, vai chegando aos objetivos de qualquer partido que é chegar ao poder.
    Portanto, não precisaria ao Pt daqui fazer grandes esforços intelectuais para tomara suas decisões. Era só olhar como tem se comportado o partido nessas localidades apontadas por mim...e outra coisa: quer exemplo maior do que o exemplo de Lula?
    Ele, para chegar ao poder, se juntou as maiores raposas da política brasileira.Recentemente para as disputas pela prefeitura de São Paulo preferiu Maluf a Luíza Herundina. Aí FOI DEMAIS!

    Não posso sair sem antes defender um ponto de vista.
    Sou um educador e tenho defendido a educação com unhas e dentes. Quem fez ou faz pela educação vai ter meu apoio, minha simpatia.Uma dessas pessoas chama-se o senador e ex-ministro Cristóvao Buarque, que inclusive fazia um excelente trabalho no Governo de Lula, mas que,sem nenhuma explicação, foi demitido pelo telefone.
    Pois bem, aqui em Santa Cruz, tenho acompanhado o bom trabalho desenvolvido pelo gestor municipal nesta área.E acrescente também aí a cultura.E observem que são poucos os gestores que dão tratamento especial à educação; A maioria prefere obras de pedra, cimento e cal, que quase sempre trazem retornos políticos e financeiros para esses gestores; não sociais.
    Por isso tenho dito que a obra social é mais importante que a de de pedra, cimento e cal.
    Termino acrescentando que, quem trata bem e respeita o cidadão, o dinheiro público, sendo honesto e que investe no ser humano, tem a minha simpatia e defendo seu nome: é PERICLES.


    JOÃO MARIA DE MEDEIROS


    ResponderExcluir
  16. Francisca Joseni dos Santos5 de setembro de 2012 15:52

    Como a democracia é salutar, pois ela nos dar a possibilidade de travar um diálogo político do quilate aqui exposto e, em especial, com a participação de Mauricio Anísio que representa muito bem àqueles que nos anos de chumbo tanto lutaram para que ela existisse. Viva a democracia!
    Francisca Joseni dos Santos - Professora

    ResponderExcluir
  17. sinceramente estou admirado é em ver/ler Cristiane trocando idéias políticas, ela que sempre foi muito reservada nessa questão. :) sobre meu comandante Maurício serei sempre um fiel escudeiro seu. sempre lúcido e combativo, inclusive nesse artigo e nos comentários. sou muito mais petista que "do PT". o "petismo" é tema de um livro dos primórdios da fundação do partido [creio que do filófoso Moacir Gadotti, a quem tive a honra de entevistar recentemente pra um documentário], versando sobre temas que Maurício aponta em um de seus comentários como sendo o patrimônio político e ético do PT, pisoteado ao longo da jornada [a foto de Lula abraçado a Maluf destrói qualquer tratado de "virgindade" filosófica]. esse é o jogo do poder. defendo os governos Lula e Dilma, ideologicamente e pragmaticamente, por seus avanços históricos e de alcance mundial! gostaria muito mesmo que Santa Cruz pudesse experimentar uma administração do PT, fato inédito. Digo isso sem afetação política nenhuma, pois que tenho uma ótima relação pessoal com todos os candidatos. Creio que ninguém vai abandonar a cidade seja qual for o resultado. em 2006 criei uma linguagem de cinema com o apoio do então prefeito Tomba, o "Cinema Processo", e que hoje encontra eco em Cuba, Haiti, França, Argentina e Estados Unidos. Fiz o filme "Fabião das Queimadas" [que até hoje passa em toda a América Latina] dentro do maior projeto de realização de documentários do mundo, o DocTV, que é uma ação de um governo do PT. Quero dizer que, como profissionais, temos que buscar os caminhos apesar de quem seja o governante. nós, os "Ozanan", tivemos uma ação muito mais direta na política de Santa Cruz e hoje somos muito mais espectadores. Somos do Seridó, mas aqui construimos nossa personalidade. Sou feliz demais da conta por privar da amizade verdadeira de um ser humano como Maurício. e sou compadre de Cristiane, de seu casamento com um dos homens mais honrados de Santa Cruz, o professor Alessandro. Gente que tem conhecimento e sentimento de altíssima qualidade para contribuir com a qualidade de vida de "nossa cidade". Gostaria [repito] de ver uma administração petista em Santa Cruz, mas vou tentar contribuir com o que for possível com a prefeita ou o prefeito que o povo escolher para administrar seu patrimônio material e imaterial.

    ResponderExcluir
  18. sinceramente estou admirado é em ver/ler Cristiane trocando idéias políticas, ela que sempre foi muito reservada nessa questão. :) sobre meu comandante Maurício serei sempre um fiel escudeiro seu. sempre lúcido e combativo, inclusive nesse artigo e nos comentários. sou muito mais petista que "do PT". o "petismo" é tema de um livro dos primórdios da fundação do partido [creio que do filófoso Moacir Gadotti, a quem tive a honra de entevistar recentemente pra um documentário], versando sobre temas que Maurício aponta em um de seus comentários como sendo o patrimônio político e ético do PT, pisoteado ao longo da jornada [a foto de Lula abraçado a Maluf destrói qualquer tratado de "virgindade" filosófica]. esse é o jogo do poder. defendo os governos Lula e Dilma, ideologicamente e pragmaticamente, por seus avanços históricos e de alcance mundial! gostaria muito mesmo que Santa Cruz pudesse experimentar uma administração do PT, fato inédito. Digo isso sem afetação política nenhuma, pois que tenho uma ótima relação pessoal com todos os candidatos. Creio que ninguém vai abandonar a cidade seja qual for o resultado. em 2006 criei uma linguagem de cinema com o apoio do então prefeito Tomba, o "Cinema Processo", e que hoje encontra eco em Cuba, Haiti, França, Argentina e Estados Unidos. Fiz o filme "Fabião das Queimadas" [que até hoje passa em toda a América Latina] dentro do maior projeto de realização de documentários do mundo, o DocTV, que é uma ação de um governo do PT. Quero dizer que, como profissionais, temos que buscar os caminhos apesar de quem seja o governante. nós, os "Ozanan", tivemos uma ação muito mais direta na política de Santa Cruz e hoje somos muito mais espectadores. Somos do Seridó, mas aqui construimos nossa personalidade. Sou feliz demais da conta por privar da amizade verdadeira de um ser humano como Maurício. e sou compadre de Cristiane, de seu casamento com um dos homens mais honrados de Santa Cruz, o professor Alessandro. Gente que tem conhecimento e sentimento de altíssima qualidade para contribuir com a qualidade de vida de "nossa cidade". Gostaria [repito] de ver uma administração petista em Santa Cruz, mas vou tentar contribuir com o que for possível com a prefeita ou o prefeito que o povo escolher para administrar seu patrimônio material e imaterial.

    ResponderExcluir

Comentários com termos vulgares e palavrões, ofensas, serão excluídos. Não se preocupem com erros de português. Patativa do Assaré disse: "É melhor escrever errado a coisa certa, do que escrever certo a coisa errada”