APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


sábado, 17 de dezembro de 2011

BARÃO DA SIMPLICIDADE - Marcos Cavalcanti


BARÃO DA SIMPLICIDADE
Nem sempre o apelido pelo qual alguém fica conhecido traduz adequadamente a personalidade ou a essência da pessoa cognominada. Era Barão no nome, mas tenho certeza que sem a vaidade nobiliárquica que o significado do “título” poderia evocar.  A nobreza de José Inaldo Martins, o nosso Barão, residia na força de caráter de homem simples, de hábitos normais e brasileiríssimos. Barão gostava de futebol, de vaquejada, de festas, da natureza e do trabalho. Em todas estas atividades ou manifestações humanas colecionou muitos amigos, e estes deram prova de amizade se fazendo presentes em silêncios, em lágrimas, em aplausos, em palavras e canções que o homenagearam na triste despedida que tocou a todos nós.  
No emocionado depoimento de Tita, titânica em sua capacidade de suportar tamanha dor, vimos se delinear poeticamente o rosário do perfil de um homem que foi bom pai, carinhoso esposo, valente trabalhador e verdadeiro amigo.  Inaldo partiu num átimo, de maneira inesperada, trágica, levado pelo instinto de um gesto nobre, digno de um verdadeiro barão, pois preferiu arriscar a própria vida, a ver atropelado o animal que fatidicamente atravessou-lhe o caminho que o conduzia à sua cidade, ao seu lar.
Em minha memória ficará gravado o seu último ato para comigo. Fizemos a dupla de ataque de nossa tradicional pelada, na última quinta-feira (08-12-2011), quando ao dar-lhe o passe que resultou no que talvez tenha sido o seu último gol, ele veio em minha direção com as mãos levantadas, com o olhar sorridente e vibrou comigo num estalar de mãos.  Dele, nunca vi uma reclamação em campo, quase não lhe ouvíamos a voz. Barão chegava discretamente e limitava-se a jogar, sem nenhuma maldade nas disputas de bola, esperando sempre a boa oportunidade lhe brindar com um gol.
A Associação Futebolística dos Amigos do Fórum – AFAF, como outras associações recreativas, da qual Barão participava, também está de luto, também está consternada e se solidariza com a família neste momento de dor. Sentiremos muito a sua falta, Barão, porque você nos inspirava confiança, lealdade, solidariedade e alegria no jogo da vida. Como dizia o poeta: “Viver é lutar!” no que acrescentamos: Viver é também brincar!  Barão lutou e brincou, amou e viveu, ganhou e perdeu, como a maioria de nós é comum acontecer, mas deixou-nos no gramado da vida, na cavalgada de seu tempo, uma lição lapidar: morrer lutando para não matar!
                                                                                                              Marcos Cavalcanti