APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


segunda-feira, 25 de julho de 2011

NEM TUDO O QUE RELUZ É OURO - Lindonete Câmara



Estamos vivendo num mundo cada vez mais consumista, de aparências e de muitos
enganos. Nunca se viu tanta facilidade para comprar e vender. Produtos aos milhares estão
disponíveis no mercado eletrônico e nos mercados da vida. Costumo dizer que “antigamente”
existiam dois tipos de produto: um destinado aos possuidores do capital, e outro destinado
aos detentores da mão de obra assalariada. Ou seja, existia o produto de boa qualidade para
os ricos e àquele sem qualidades especiais para os pobres. Não existiam tantas mercadorias
intermediárias. Hoje há uma infinidade de brilho, bijuterias, piratarias, falsificações e réplicas
tomando conta de tudo. Produtos para todo bolso e gosto. Mistura da moda internacional e
nacional saem das passarelas e vão para os desfiles das ruas.
Estamos inseridos num grande e diversificado intercambio de aparências e
superficialidades que até nos deixam maravilhados. Quanta ilusão!
Nessa hipócrita sociedade o TER vale mais que o SER. Infelizmente, ainda para muitos,
para ser bem aceito e respeitado não basta apenas SABER ou ser íntegro. É preciso possuir
bens materiais, usar produtos de grifes, andar num carro novo (que não seja de motor 1.0) e
TER status.
Estejamos atentos para o que está além do brilho. Às vezes há correspondência
entre aquele que possui bens materiais, que se veste bem e a boa conduta. Mas nem sempre
isso é verdadeiro. Nesse mundão reluzente aos nossos olhos o consumismo cada vez mais
desenfreado escorrega em nossas mãos. Já é doença psicológica para uns e quem sabe apenas
uma tentação para outros. Sem falar na grande facilidade para comprar com o “maravilhoso
cartão de crédito”.
Alguém faz propaganda da essência do homem na mídia e nos meios de comunicação
sem que haja direcionamento ao consumo? Alguém anuncia a dignidade e os princípios morais
do se humano independente de ser rico ou pobre? O universo empresarial, incentivador do
consumismo, não está interessado na verdadeira felicidade, esse algo espiritual e individual.
Porque será?
Vivemos num tempo de difíceis escolhas em todas as áreas de nossas vidas. De muita
FERRUGEM com revestimento aparente de OURO. Até quando seremos enganados? Abraham
Lincoln já havia dito que: “não se pode enganar todo mundo o tempo todo”. Às vezes pensamos
que o mundo só está caminhando na direção da ludibriação das pessoas. Mas também tenho a
convicção de que ao mesmo tempo em que alguém consegue enganar a muitos também a si se
engana.
Sejamos investigativos diante de tudo: das ideologias, das doutrinas, dos homens e em
tudo aquilo que reluz.

LINDONETE CÂMARA