APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


terça-feira, 28 de junho de 2011

O LENHADOR, O GATO E O TÉDIO - Marcelo Pinheiro

Severino era um velho lenhador que costumava ir à floresta todos os dias,
antes do raiar do sol. Trabalhava duro para sustentar sua família de cinco
filhos pequenos e Sossego, um gato que passava o dia deitado e comendo
carne fresca.

Já era tardinha quando Severino chegou de volta a casa onde morava
depois de mais um dia extenuante de trabalho. Olhando para o gato que
dormia preguiçosamente debaixo de um tamborete lhe veio à vontade
desabafar:

- Vida boa..., são cinco e meia da tarde e você aí, dormindo com a barriga
cheia de carne. Não precisa cortar lenha para sustentar os filhos. Isso é
que é vida.

O gato abriu os olhos ainda com preguiça e falou:

- Que nada! O ócio tem seu alto preço. Ele nos torna íntimos do tédio,
disso eu posso te falar com propriedade, e não há nada pior do que pensar
que a vida não tem sentido algum. Seu trabalho ao menos lhe dá a ilusão
de que, apesar de fatigante, é compensador. A madeira que você derruba
vai virar casas, móveis, instrumentos musicais... E eu, para que existo?

Sem dizer uma palavra, o lenhador saiu já esperando o dia amanhecer
para ir novamente trabalhar. Não queria ter tempo para sentir que sua
vida não tinha sentido algum.

Marcelo Pinheiro.