APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

RECEITA DA BOA MULHER (Cordel) - Izabel Nascimento


RECEITA DA BOA MULHER
Autora: Izabel Nascimento
Aracaju-Sergipe-2004

Peço a quem for solteiro
Leia meu poema inteiro
Depois case se quiser
Ele relata a verdade
Sobre toda a qualidade
Que deve ter a mulher.

Tudo o que o homem quiser
Até mesmo o que disser
Nunca deve estar errado
Chamá-lo de meu querido
Obedecer ao marido
Ser fiel ao namorado.

Não deixá-lo chateado
Ou esperando sentado
Vendo você se arrumar
Agradá-lo o tempo inteiro
Até emprestar dinheiro
Quando ele precisar.

Nunca deve reclamar
Se ele não a agradar
Só comente em seu diário
Goste dos amigos dele
Só saia de for com ele
E só fale o necessário.

Não pergunte seu salário
Não mexa no seu armário
Nem peça pra dirigir
Se estiver arrumada
Não faça cara amarrada
Se ele não quiser sair.

Se ele gosta de curtir
Beber e se divertir
Seja muito paciente
Se ele, numa balada
Arranjar outra amada,
Não reclame, nem comente.

Sempre esteja sorridente
E se ganhar algum presente 
Que você não se agradou
Diga que ele é belíssimo
Deve ter sido caríssimo
E que você adorou.

Nunca diga que chorou
Se ele a magoou 
Ou se algo deu errado
Não lhe peça aliança
E não lhe faça cobrança
Por celular desligado.

Nunca irrite o coitado
Não o deixe chateado
Nem o faça aborrecer
Não lhe ponha nenhum freio
Se depois de um mês e meio
Ele não aparecer.

Se estiar ou se chover
Ele não vier lhe ver
Por desculpa esfarrapada
Seja uma mulher bacana
E depois dessa semana
Finja que não houve nada.

Se você já for casada
A coisa é mais complicada 
O trabalho é dobrado
Mas não faça discussão
Que quem sempre tem razão
É o seu esposo amado.

Um lencinho perfumado
Sair todo arrumado
Isso não lhe atormenta
Deixe cair na gandaia
Olhar pra rabo de saia
Nunca seja ciumenta.

Nada disso a atormenta
A tudo você enfrenta
Essa é a situação
E nem pense em reclamar
Para não incomodar
Sei querido maridão.

Tire os sapatos do chão 
Desligue a televisão 
Pra ele não acordar
Mas esteja preparada
Quando a toalha molhada
Na cala, ele jogar.

Se ele gosta de fumar
Pra você se adaptar 
Com o vício que ele tem
Então fume a noite inteira
Que no final da carteira
Já se acostumou também.

Isso é o que convém
Quando a mulher faz o bem
Sacrifica sua glória
É uma história bonita
Mas que ninguém acredita
Porque é muito ilusória.

Cada um com sua história
Seu conto e sua vitória
Mas ninguém sabe se viu
E só não vê quem não quer
Que este tipo de mulher
Nunca no mundo existiu.

Se você se permitiu
Ou até se pressentiu
No coração não se manda
Acredite se quiser
Que cabeça de mulher 
É terra que ninguém anda.

O homem acha que comanda
Pensa que manda e desmanda
No coração da donzela
Mas a mulher com jeitinho
Faz o homem tão bobinho
Ceder aos caprichos dela.

A verdade se revela
Respeitando ele ou ela
Nos mostra a todo momento:
Ninguém é melhor que ninguém
Ninguém vive sem alguém
Ninguém pisa em sentimento.

Todo este sofrimento 
De tortura e sentimento
Que mulher nenhuma quer
Que se unam, que se somem
Homem com mulher ou homem
Mulher com homem ou mulher.

Eu direi a quem quiser 
Porque também sou mulher
Com muito orgulho e razão
Do que o homem é capaz
A mulher também o faz
Até com mais perfeição.

No dia da criação 
Quando Deus moldou Adão
Com barro do chão molhado
Um segredo pra nós dois:
Deus fez a mulher depois
Pra fazer mais caprichado!