APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

SE POUCO AMOR NÃO É AMOR, TUDO POUCO NÃO É NADA



Mote: Juciana Soares
Glosas: Ismael André



No versejar em apuro
Trago o amor como rima
Matéria e obra-prima
Num relance bem obscuro
Não pago, nem cobro juro
Pela dinâmica ousada
De amar, ser fascinada
De querer bem promissor
Se pouco amor não é amor
Tudo pouco não é nada.

Amar não é sufocar
Nem almeja retribuições
Melhor de si sem ilusões
É cuidar sem controlar
É o saber esperar
Porém é essência estampada
De uma vida obstinada
De querer sem sobrepor
Se pouco amor não é amor
Tudo pouco não é nada.

O amor puro e verdadeiro
Suporta o sofrimento
Com extremo discernimento
O egoísmo é o derradeiro
Ciúme não é herdeiro
A arrogância emanada
Deixa a vida alienada
Causando uma forte dor
Se pouco amor não é amor
Tudo pouco não é nada..

Um mundo sem prepotência
Planta amor sem mesquinhez
Da caridade é freguês
Da gentileza, prudência
Da autoestima, a clemência
Com pureza impregnada
A pessoa estabanada
Vira essência de pudor
Se pouco amor não é amor
Tudo pouco não é nada.

A ganância do ter muito
Apodreceu a essência
Abriu porta para indecência
Gerar conflitos foi o intuito
O amor que era gratuito
Vira semente aniquilada
Migalha quase anulada
Deste pó tão sofredor
Se pouco amor não é amor
Tudo pouco não é nada.

Um exemplo a ser notado
É o amor familiar
Perdeu-se sem se notar
O grande e maior legado
Os pais sendo respeitado
Virou conduta minada
O amor é coisa negada
Já não se tem mais temor
Se pouco amor não é amor
Tudo pouco não é nada.

Amor de marido e mulher
É um contrato vencido
Já não se tem mais vivido
Agora se mete a colher
Garfo, faca, qualquer talher
Deixa a vida transformada
E não se ver nenhuma guinada
Neste navio de horror
Se pouco amor não é amor
Tudo pouco não é nada.

Amigo já não se conta
Com reciprocidade amorosa
É até piada desonrosa
E uma tremenda afronta
“Te amo” já não se aponta
É uma regra lesionada
De uma sociedade empenhada
Em juízo de valor
Se pouco amor não é amor
Tudo pouco não é nada.

Na verdade este sentimento
Preciso de almas honrosas
Solidárias, caridosas
De um total ressurgimento
Que façam num firmamento
Uma justiça rimada
Verdade sendo apontada
Num ritmo avassalador
Se pouco amor não é amor
Tudo pouco não é nada.




Escrito em 18/01/2016