APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


quinta-feira, 1 de novembro de 2012

SEU JOÃO FERREIRA, UM POETA INTEGRAL - Marcos Cavalcanti


 
(Santa Cruz-RN, 01/11/2012)

Obrigações profissionais se sobrepuseram ao meu íntimo desejo de acompanhar o cortejo de meu amigo, o poeta João Ferreira, conhecido por muitos santacruzenses simplesmente por “João da Prestação ou do Crediário”. Não podendo prestar-lhe este dever fraterno, o de acompanhá-lo em seu percurso derradeiro até a sua última morada, fui despedir-me dele em seu lar, permanecendo durante um longo tempo em silêncio ao seu lado e de seus consternados parentes, sobretudo esposa e filhos. Ali, ia me chegando aos poucos, na memória, episódios que vivemos juntos e que são, penso eu, suficientes para traçar aqui um pequeno, mas sincero esboço deste homem singular, que nos deixou ontem no início da tarde, pouco tempo depois de ter tido um encontro, diria de despedida, com um de seus mais diletos amigos, o poeta Hélio Crisanto, com quem assinou algumas boas parcerias musicais.
João Ferreira da Silva era natural de Mossoró, tinha 74 anos, boa parte dos quais, vividos aqui em nossa cidade, onde constituiu a sua família e a legião de amigos que amealhou ao longo dos anos, cativados que foram pela simpatia que lhe era uma característica natural. Foi funcionário do Hospital Aluízio Bezerra, lidando diretamente com o atendimento de pessoas, onde se destacou pela maneira cordial, educada e alegre com que tratava, indistintamente, a todos que ali chegavam necessitados de atendimento médico. Foi um profissional dedicado e responsável, e lá deixou a marca indelével de todas as virtudes de que se deve revestir um funcionário público. Seu João também foi responsável pela confecção de milhares de calendários de votos de Boas Festas que entraram em nossas casas nos finais de ano. Foi um esposo amável, pai carinhoso e diligente cumpridor de todos os deveres inerentes ao de um bom chefe de família. 
Mas, nesta singela homenagem, quero destacar o lado artístico de João, o João Poeta, companheiro de muitas andanças em prol da poesia e da cultura de Santa Cruz. Convidado especial dos inúmeros festivais de viola que realizamos, onde declamava com prazer as suas poesias simples e verdadeiras. Era um dos primeiros a chegar e um dos últimos a sair do teatro. Foi também um dos mais entusiasmados membros da ASPE, e posteriormente, da APOESC, instituições culturais em que o poeta João revelou o seu talento criador, a sua sensibilidade poética, desenvolvendo temas que brotavam de suas vivências genuínas como homem sertanejo, nordestino, intimamente ligado à terra, às nossas tradições, à natureza e à família. Não esquecerei as inúmeras visitas que me fez na Casa de Cultura, quando fui um de seus dirigentes; não esquecerei que foi ele o primeiro a escrever um poema em homenagem aquele espaço cultural, e que está publicado em nossa última antologia literária. Não esquecerei seu otimismo em tudo que fazia; de sua espera paciente em muitos de nossos saraus para que pudesse, enfim, recitar com voz forte,, determinada, a sua mais recente produção. 
No velório, Hélio contou-me que o Poeta João estava com vontade de publicar o seu próprio livro de poesias, cujo título “Poeta por natureza”, retrata, e muito bem, a sua natureza de poeta. Com esta perspectiva partiu, e por isso, em seu nome, apelo à Prefeitura Municipal, através de sua Secretaria de Cultura, para que possa ajudar a família do poeta a realizar este sonho. A publicação póstuma de sua obra será a retribuição justa e necessária à preservação da memória de um homem simples, honrado, que muito deu de si para a história cultural de nosso município. Este homem bom, de prestação em prestação construiu sua obra poética, e assim se fez, para sempre, um POETA INTEGRAL. 

Marcos Cavalcanti