APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


terça-feira, 31 de julho de 2012

Um caminho de Harmonia - João Estevam Fernandes



“O mestre faz a reverência e levanta-se, o oponente dispara em

sua direção e a espada corta o ar, a esquiva do mestre foi instintiva, os

discípulos que a cena assistiam não a perceberam, seguiu-se outro corte,

o mestre movimentava-se, como se nem estivesse sendo atacado, e

vários outros cortes se seguem.


O mestre não possui a intenção de machucar seu oponente,

prefere ensiná-lo, se quisesse ensinar usando o ódio, o distanciamento

ideal mantido desde o primeiro corte já o teria permitido encerrar a lição,

mas prefere o amor. Então continua harmonizando-se, sem atacar, a

perfeita observação cultivada durante os mais de 60 anos de treino o

põem em um estado de interação dinâmica que faz os dois parecem

apenas um, a sua respiração correta e ritmada, permitem-no passar por

um tempo consideravelmente grande sem cansar-se. Passados alguns

minutos o oponente já mostrava sinais de cansaço.


O movimento seguinte de apenas poucos segundos, definiu tudo,

o mestre, acompanha o movimento de corte e redirecionando sua

energia (do corte) o prolonga, arremessando em seguida o oponente ao

chão, ao tomar seu centro e sua espada. Então o mestre para, senta-

se e curva-se, agradecendo a Deus não só por esta luta, mas por toda

sua vida. Ao oponente resta apenas levantar-se com um pouco de

dificuldade e reconhecer a eficácia do mestre e da arte, na esperança

de que o mestre o aceite como discípulo. E o mestre assim o faz.”


O encontro ficcional acima descrito tem a única intenção de expor

um pouco da filosofia e do pensamento de um verdadeiro praticante do

Budô. A palavra Budô pode ser traduzida como “caminho do guerreiro”

e serve para designar as artes marciais de origem Japonesa. Não sei

por qual motivo, mas este tipo de “esporte” sempre me seduziu, haja

vista que nunca tive admiração pelo futebol, como a maioria de meus

compatriotas, e a primeira com a qual tive contato foi o Karatê-dô, lá no

longínquo ano de 1990. Assisti uma demonstração e fiquei fascinado,

só não comecei a praticar imediatamente por estar com o braço

engessado, resultado de uma traquinagem infantil.


Após a retirada do gesso, meus pais arrumaram alguma maneira

de me persuadir a adiar o início da prática, e sempre que eu voltava

ao assunto eles inventavam outra maneira – eles não ficaram tão

fascinados como eu, até que cerca de sete anos depois ingressei na

Academia Pequeno Felino, onde pratiquei Karatê-dô durante alguns

anos.


Hoje pratico Aikidô com o Sênsei James e escrevo este texto por

sugestão deste mestre. Nestes anos de prática aprendi muita coisa

na APF e não somente sobre o Karatê-dô, o Sênsei Messias possui

uma vasta sabedoria, freqüentemente compartilhada com seus alunos.

Em certas ocasiões lembro claramente de o ver demonstrar técnicas

de outras artes, inclusive do Aikidô e também de suas palavras de

incentivo quando resolvi por este caminho seguir: “Cada passo que se

dá em direção à arte, são na verdade dois passos e não apenas um,

pois é como se você estivesse em frente a um espelho e a cada passo

seu a arte também dá um passo”.


Em 2005, dei o primeiro passo – na verdade dois - em direção

ao aprendizado do Aikidô, o terceiro passo demorou quase seis anos e

espero, sinceramente, que os próximos sejam mais breves. Praticamos

Aikidô na Academia Central de Aikido de Santa Cruz. O Aikidô tem

como fundador Ô Sênsei Morihei Ueshiba, é uma arte marcial moderna

e não competitiva que visa o pleno desenvolvimento do ser humano.

Venha você também treinar.