APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


terça-feira, 29 de maio de 2012

CUIDADO! - Zenóbio Oliveira



Imagem meramente ilustrativa

Cuidado com os pardais!
A advertência vem da palavra, da oralidade que, pelo repertório da experiência, remete ao sentido uma outra forma de expressão, a escrita, num letreiro gravado em pequenas placas fixadas nos portões de residências, onde se alerta para outro tipo de animal, digamos, muito mais feroz: Cuidado com o cão!

Esse cuidado escrito é sempre levado em consideração. O cão é animal perigoso, com raras exceções. Alem disso, a legenda na tabuleta não revela nem a qualidade, nem a condição atual do canino. O outro cuidado desdenhamos, até porque o pardal é um bicho inofensivo, inclusive para os insetos, pois se alimenta de grãos e migalhas humanas.

A ave em questão, porem, não é um passeriforme voante e canoro não. Trata-se de um vigilante atento, imoto, calado e matemático, com enorme poder de fogo, ou de flash. Como seu homônimo, passer domesticus, é ubíquo em regiões habitadas pelo homem e também se alimenta de suas migalhas. Espalhados em pontos estratégicos, e agora sem aviso prévio de sua presença, esses passarinhos tecnológicos são capazes de papar para seus donos (o estado e empresas agregadas suas) mais de dois bilhões de reais por ano.

É amigo, esse bichinho eletrônico come alto e tem papo grande. "Pássaro" atento e ativo com poder de vigiar e punir, a serviço de uma indústria, convertida em sistema e cada vez mais poderosa, a indústria da multa. Ademais, essa “ave” deve ser compreendida e aceita como máquina dotada de personalidade, pois do contrário, transgrediria a regra básica do direito administrativo, preconizada no artigo 280 do Código Nacional de Trânsito, que imputa competência para “lavrar o auto de infração ao servidor civil, estatutário ou celetista ou, ainda, policial militar designado pela autoridade de trânsito com jurisdição sobre a via no âmbito de sua competência”.

Especialmente para o motorista, que convive diariamente com alertas dessa natureza, podemos acrescentar mais alguns: cuidado com os buracos; cuidado com o motorista mal educado e estressado; cuidado com a carestia dos DETRAN’s; cuidado com o assalto na rua, na oficina e na bomba de gasolina; cuidado com os engarrafamentos; cuidado com a falta de sinalização; cuidado com a escuridão; cuidado com os animais na rua e nas estradas; cuidado com a carroça, com a bicicleta, com a moto; cuidado com a pedra solta do calçamento; cuidado, cuidado, cuidado... E quando for entrar em casa, cuidado com o cão, se for sair dela, cuidado com os pardais.