APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

SE O PÁSSARO PRESO FALASSE - Adonias Soares


Canta a acauã estrídente
No olho da baraúna
E o saudoso caraúna
Desperta alegrando a gente
A patativa contente
Canta com mais alegria
O rouxinol na folia
Solta seus cantos garbosos
Que os versos brotam viçosos
Do jardim da poesia.

O campina retinindo
Canta uma música completa
Imita o lírico poeta
No verso se divertindo
Quando as rimas vêm surgindo
Com franqueza e melodia
Quando o poeta anuncia
Poemas melodiosos
Que os versos brotam viçosos
No jardim da poesia.

A pernuda sariema
Com seu brado de guerra
Na cordilheira da serra
Imita um rico poema
A pêga traça um esquema
Com sonora melodia
O canário curruxia
Com termos maravilhosos
Que os versos brotam viçosos
Do jardim da poesia.

Nasci num campo florido
Numas campinas vistosas
Sentindo o cheiro das rosas
Dos vegetais preferidos
Hoje me vejo oprimido
Sem minha libertação
Canto pra dar expansão
A este sofrer ferino
Não sei porquê o destino
Me trouxe a essa prisão.

Bote pra fora do time
o atleta incompetente
Que prendeu o inocente
Sem ter cometido crime
Até que haja um regime
Com fórum pra governar
E também analisar
O que disse Pedro Dantas
Que o pássaro preso canta
Porque não sabe chorar.

Acho ser perversidade
De quem pega um passarinho
E encarcera o bichinho
Lhe roubando a liberdade
Sem ter dó nem piedade
Do campina ou do concriz
Pois a natureza diz
Que o grande Deus os criou
Pra não ter superior
E na vida ser feliz.

Quem fez a grande Grandeza
Deu-me autorização
Pra viver na amplidão
Por ordem da natureza
Sem a ninguém dar despesa
Por dentro dos matagais
Na sombra dos vegetais
Sem a ninguém causar dano
Solta-me, monstro tirano,
Deixa-me viver em paz.