APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


terça-feira, 18 de outubro de 2011

EU AINDA SINTO O CHEIRO DO CAFÉ QUE MÃE FAZIA - Hélio Crisanto



Ainda dói na lembrança
aquele tempo ditoso
o meu ranchinho garboso
que morei quando criança
Mamãe cheia de esperança
nos enchendo de alegria
fazendo a lavanderia
na jurema do barreiro
Eu ainda sinto o cheiro
do café que mãe fazia.




5 comentários:

  1. Grande artista Hélio Crisanto. Sou sua fã!

    Márcia

    ResponderExcluir
  2. Eu também, só que a xícara era daquelas de vidro laranja, ou âmbar, transparente. Lembra dessa? rsrsrs

    Abraço, poeta!

    Rogério.

    ResponderExcluir
  3. Sempre foi maravilhoso
    Já acordava com o aroma
    Parecia uma redoma
    De perfume prazeroso
    De um amor puro e bondoso
    Logo cedo eu já sentia
    O sabor de harmonia
    Que saia do chaleiro
    EU AINDA SINTO O CHEIRO
    DO CAFÉ QUE MÃE FAZIA

    Camilo Henrique

    ResponderExcluir
  4. Helio, com este pequeno poema, fiz um grande “mergulho” nas minhas lembranças de infância. São estes pequenos detalhes insignificantes que aproximam-nos da nossa infância e dão às nossas lembranças esta suave melancolia .
    Parabens amigo

    ResponderExcluir
  5. O CAFÉ QUE MÃE FAZIA
    ****

    Uma das lembranças da infância
    Eu ainda tenho em mente
    É a de um cafezinho bem quente
    Servido com elegância
    E perfumando com sua fragrância
    Bem ao amanhecer do dia
    Na chaleira se servia
    Todo dia, o dia inteiro
    EU AINDA SINTO O CHEIRO
    DO CAFÁ QUE MÃE FAZIA.

    Amiraldo Patriota
    patriotajp@hotmail.com

    ResponderExcluir

Comentários com termos vulgares e palavrões, ofensas, serão excluídos. Não se preocupem com erros de português. Patativa do Assaré disse: "É melhor escrever errado a coisa certa, do que escrever certo a coisa errada”