APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


domingo, 4 de setembro de 2011

NORDESTÊS - Hélio Crisanto



Copo pequeno é caneco
Porco novo é bacuri
Namoro agora é xaveco
Diarreia é xiriri
Briga pequena é arenga
Mulher sem futuro é quenga
Bunda também é baiti

Tirar onda é caningar
Vitamina é fortidão
Fazer pouco é caçoar
Frexar é aporrinhação
Carro velho é cafuringa
Tudo que fede é catinga
Fazer bico é viração

Cabra pequeno é baé
Colisão é barroada
Quem salta dá cangapé
Mulher grávida é amojada
Beber liso é pirangueiro
Briguento é imbuanceiro
Cuspe no chão é goipada

Frouxo se diz que é folote
Gado novo é um capão
Toutiço aqui é cangote
Munganga é malcriação
Rede pequena é tipóia
Enrrolagem é tramoia
Furdunço é confusão

Vento frio é cruviana
Xique-xique é marrabu
Bala e bombom é bagana
Comida ruim é angu
Tibungar é dar mergulho
Pedante quem tem orgulho
Ficar triste é jururu

Já cansei de miunçar
Chega de cavilação
Que esse nosso linguajar
E essa nossa falação
É o retrato da cultura
Mostrando literatura
Das coisas do meu sertão.

9 comentários:

  1. Hélio, o Nordeste deste país, com seu linguajar genuinamente seu, é a parte mais brasileira do Brasil, visse?!

    ResponderExcluir
  2. Poesia popular autentica, parabens poeta.

    João Adelino

    ResponderExcluir
  3. Valeu crisanto, esse é o nosso dialeto particular, realmente, um abraço.

    Janeide

    ResponderExcluir
  4. MUITO BEM ELABORADO ESSE POEMA, ADOREI

    FRANCISCA LÚCIA

    ResponderExcluir
  5. Esse Hélio crisanto sabe falar com propriedade a linguagem do nosso povo

    anônimo

    ResponderExcluir
  6. gostei das novas postagens, algo mais denso.

    lidiane

    ResponderExcluir
  7. rsrs Versos nossos,nossos versos!
    Parabénsss!

    João

    ResponderExcluir
  8. Ele não gosta de anonimato,mas digo,pense num cabra bom de verso e de rima!

    ResponderExcluir
  9. ótimo poema, muito bem trabalhado. Precisamos de mais poemas como esse... como os da Genaria e da Laiz q podemos sentir o amor em cada frase. Não esses poemas sem nexo cheio de palavras complicadas, q é preciso a ajuda de um dicionario para se entender. Parabéns a Apoesc por dar lugar e valorizar poetas como esses três, que nem os conheço mas já os admiro.
    Irene

    ResponderExcluir

Comentários com termos vulgares e palavrões, ofensas, serão excluídos. Não se preocupem com erros de português. Patativa do Assaré disse: "É melhor escrever errado a coisa certa, do que escrever certo a coisa errada”