APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


quarta-feira, 17 de agosto de 2011

OLHA SEM PRESSA - Alessandro Nóbrega


OLHA SEM PRESSA

Anda devagar

A pressa não te basta.

Sempre haverá um começo que parte e outro que chega.

Um olhar sem pressa

Acalma a paisagem.

Como criança que brinca sem hora para acabar

Ou o pássaro que pousa

E a árvore que cresce.

Devagar

Devagar

Molha o orvalho da manhã

E abrem os roseirais.

Olha o que ora

Ou medita

Para tudo ou nada alcançar.

Devagar

Devagar

Abraça

Beija

Sussurra o amante para seu bem querer.

Devagar

Volta

E lê!

Sem pressa.

Alessandro Nóbrega

08/2011



7 comentários:

  1. MARAVILHOSO !!! Um dos mais belos poemas que li neste blog !Assim como este "Olha sem pressa " ,devagar,devagar vc soube comover-me !!!
    Parabens amigo !!!

    ResponderExcluir
  2. Alessandro,

    Seu poema é um hino contra a correria absurda do mundo atual: todos preocupados em ganhar, rapidamente, dinheiro, título, méritos, cargos, renome,...ufa!

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Eu comparo a pressa como uma marcha fúnebre, que nos empurra e nos aproxima da morte. Um belo poema Alessandro, parabens mesmo.

    ResponderExcluir
  4. Alessandro, mais um de seus poemas que me deixa encantado cara, sinceramente. Se apressa! Para logo nos presentear com mais um... e mais outro...
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. LINDONETE CÂMARA disse...

    Belo poema! Devemos refletir essa pressa que nos tira a beleza de viver.

    Parabéns,Alessandro!

    ResponderExcluir
  6. Alessandro Nóbrega18 de agosto de 2011 14:44

    Muito obrigado meus amigos. Todos muito generosos.

    ResponderExcluir
  7. Caramba esse poema caiu na minha carapuça, tenho andado muito apressado e esquecendo de viver.

    João Adelino

    ResponderExcluir

Comentários com termos vulgares e palavrões, ofensas, serão excluídos. Não se preocupem com erros de português. Patativa do Assaré disse: "É melhor escrever errado a coisa certa, do que escrever certo a coisa errada”