sexta-feira, 17 de junho de 2011

A FOME E A HIPOCRISIA. - Marcelo












A FOME E A HIPOCRISIA.

Abasi nasceu numa aldeia da Etiópia, no nordeste da África. Antes de aprender o nome da sua mãe, já soletrava a palavra FOME. Seus pais morreram de velhice antes dos trinta. Seus outros três irmãos não chegaram a caminhar com as próprias pernas, suas poucas carnes foram tragadas pelo próprio organismo em desespero.

Ao caminhar pela aldeia, ele costuma ser seguido por abutres famintos, que pareciam conhecer as probabilidades do seu destino.

Aquele era mais um dia sem trabalho, sem comida, sem esperança... O sol do meio-dia castigava sem piedade as áridas savanas africanas. Em sua casinha de palha, num dos devaneios causados pela desnutrição crônica, Abasi teve a visão de uma senhora esquelética, coberta por um manto negro, montada num enorme cavalo preto. Ao seu lado, seguia um cavalo amarelo e aquela que nele se montava escondia o rosto sob um manto cor de enxofre. Ambas vinham em sua direção, como lobos ao se aproximarem da presa. Sem forças para fugir, Abasi apenas lhes perguntou:

- Quem são vocês, de onde vêm, para onde vão?

De forma arrogante, a visão do cavalo preto respondeu-lhe com uma voz rouca e fria:

- Eu sou a FOME e esta é a MORTE. Vimos da Ásia, acabamos de fazer um grande trabalho na Mongólia, em Bangladeche e no Camboja, estamos passando aqui na Etiópia e depois seguiremos nossa velha trilha pela Somália, Tanzânia, Quênia, etc.

Tremendo de medo e quase sem voz, Abasi retrucou:

- Então são a FOME e a MORTE?! Já ouvi falar muito de vocês por aqui. Quase sempre que morre alguém por essas bandas, dizem: “morreu de fome”. Outro dia escutei alguém falando que 1 CRIANÇA MORRE A CADA 7 SEGUNDOS DE FOME NO MUNDO”. Como vocês conseguem ser tão eficientes e ignoradas ao mesmo tempo?

- A explicação é simples: o homem é egoísta e hipócrita. Os Estados Unidos já gastaram 1 TRILHÃO e 400 BILHÕES DE DÓLARES na “guerra contra o terror”. Eu sou muito pior que a Al-Qaeda: antes do café da manhã de todos os dias eu faço mais vítimas que o terrorismo fez em 9 anos. As nações ricas não se incomodam comigo, tampouco eu as incomodo, sou discreta, faço meu trabalho sorrateiramente. Pense bem, em todo o mundo há pouco mais de 800 milhões de pessoas desnutridas. Com a quantia de 1,4 TRILHÃO, gasta contra “o terror”, os EUA, sozinho, teriam acabado comigo.

- Mas por que você escolheu a África?

- Não escolho, apenas sou oportunista. Tudo aqui me é favorável: monoculturas, desmatamentos, conflitos tribais, neo-colonialismo, dívida-externa, desigualdades-sociais, descaso internacional..., isso aqui é terra de ninguém, ou melhor, essa é a nossa terra.

Enquanto a FOME entretia Abasi, fazendo-o entender as verdadeiras razões de continuar viva, dissimuladamente a MORTE se encarregou de tirar-lhe o fôlego da vida. Ele estava sabendo demais.


Marcelo Pinheiro

8 comentários:

  1. Brilhante Marcelo, mais um texto que você nos brinda com excelência. Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Marcelo,

    Texto tocante e bem estruturado.
    Faz-nos pensar em alguns ricões nordestinos que ainda "ouvem" esse diálogo entre a FOME e a MORTE, ambas incentivadas pela HIPOCRISIA.
    Felizmente nosso querido Nordeste, aos poucos, vai deixando de ouvir esse diálogo maldito.

    Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  3. Que maravilha de texto Marcelo!
    Te admiro Dr!

    joão

    ResponderExcluir
  4. Marcos Cavalcanti18 de junho de 2011 06:51

    Grande Marcelo, um texto digno de uma abertura dos trabalhos da ONU. Parabéns tribuno, suas palavras reverberam dentro da gente!

    ResponderExcluir
  5. Valeu Marcelo pelo excelente texto.Hipocrisia,alienação,fome e morte caminham na mesma direção,tanto em discursos quanto na vida diária de milhões.

    Lindonete Câmara

    ResponderExcluir
  6. Errata: em meu comentário acima, quis dizer "rincões" e não "ricões".

    ResponderExcluir
  7. Marcelo Pinheiro.19 de junho de 2011 05:14

    Adriano, você é que nos brinda com a assiduidade no blog. Obrigado.

    Teixeirinha, você lembrou bem, nosso Nordeste embora hoje sofra menos, já viu muitos dos filhos tombar em face da fome.

    João, valeu pela estima. A propósito, qual é seu sobrenome? Tenho muitos amigos chamados João.

    Marcos Cavalcante, seria bom que a ONU deixasse de ser uma entidade simbólica e usasse os mecanismos que de fato podem resolver o problema. Mas, infelizmente, há outros interesses por trás. Obrigado pelo elogio.

    Lindonete, apesar de suspeita para me elogiar, agradeço pelo comentário.

    ResponderExcluir
  8. Marcelo ,eu li o seu texto com interesse e amei .Você esta fazendo concorrência ao grande fabulista francês Jean de La Fontaine !!! rsrs
    Parabens amigo ,te admiro demaissssssssss

    ResponderExcluir

Comentários com termos vulgares e palavrões, ofensas, serão excluídos. Não se preocupem com erros de português. Patativa do Assaré disse: "É melhor escrever errado a coisa certa, do que escrever certo a coisa errada”