quarta-feira, 26 de janeiro de 2022

TODA VEZ QUE SE PRENDE UM PASSARINHO... - Hélio Crisanto

 




TODA VEZ QUE SE PRENDE UM PASSARINHO DIMINUI NA FLORESTA UM SERESTEIRO

(Mote de Felizardo Moura. Poema de Hélio Crisanto)


Que mal faz na floresta um azulão

Entoando num galho seus gorjeios

Exibindo pra fêmea galanteios

Num cenário de rara perfeição

Mas o homem atroz, sem coração

Sem remorso lhe faz prisioneiro

Acha pouco em ser seu carcereiro

Rouba o filho e depois destrói seu ninho

Toda vez que se prende um passarinho

Diminui na floresta um seresteiro





Um comentário:

  1. https://www.facebook.com/joaomaria.medeirosdantas30 de janeiro de 2022 17:02

    Absurdo, grande poeta Hélio Crizanto

    Quem mantém uma ave presa
    A liberdade viola
    Deveria pagar pena
    Pra melhorar a cachola
    E ficar pra sempre trancado
    Numa pequena gaiola

    ResponderExcluir

Comentários com termos vulgares e palavrões, ofensas, serão excluídos. Não se preocupem com erros de português. Patativa do Assaré disse: "É melhor escrever errado a coisa certa, do que escrever certo a coisa errada”