APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Vem de lá que eu vou de cá Mostrar quem é cantador.


PELEJA ENTRE JARCONE VITAL X ZÉ FERREIRA



Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Jarcone Vital

Sou um poeta pequeno,
porém não me menospreze,
ajoelhe a Deus e reze,
não provar do meu veneno,
o azêdume é "tereno",
no embate sou terror,
já vi poeta doutor,
me pedindo pra parar,
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

ZéFerreira

Se você se diz pequeno
eu aconselho que cresça
e depois me apareça
fazendo aí um aceno.
Eu te espero, sereno
no peito nenhum temor
só pra Deus Nosso Senhor
é que vou me ajoelhar
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Jarcone Vital

Todo nordeste conhece
aforça do meu repente
se passar na minha frente
ligeiro tu adoece
vai comer pra ver se cresce
magricela sofredor
papagaio falador
aqui não vai se criar
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

ZéFerreira

Já cantei com muita gente,
nunca com contaminado
a dizer que ao seu lado
alguém vai ficar doente.
Porém, preventivamente
tomei imunizador
trouxe um pulverizador
para seu verme matar
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.
Jarcone Vital
Jarcone Vital
 
Se poeta der bobeira,
arranco sua camisa,
lhe dou uma baita pisa,
com um fio de cadeira,
dou cascudo na "moleira",
de tapar o obrador,
eu gosto é de ver a dor,
nesse filho de Imbuá,
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Zé Ferreira

Enfrento qualquer rival
tentando ser compassivo
mas você me dá motivo
para cobri-lo no pau.
Não tenho fama de mau
porém digo sem rancor,
se despertar meu furor
de ti nada vai sobrar,
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Jarcone Vital

Rimador véi sem futuro,
lhe peço não me aborreça,
cobra de duas "cabeça",
fumaceiro de monturo,
mijador de pé de muro,
indigente sofredor,
cria que não teve amor,
nascido para penar,
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Zé Ferreira

Não queira me ver zangado
pois arregaço a munheca
faço de você peteca
jogando pra todo lado.
Vai apanhar um bocado
e não vai achar doutor
que lhe aplaque a dor
na hora de defecar
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Jarcone Vital

De onde saiu esse incréu,
pra querer cantar comigo,
vou arrancar teu umbigo,
e pisar o teu chapéu,
se esqueça logo do céu,
o cão é teu protetor,
só Jesus nosso senhor,
é quem pode te salvar,
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Zé Ferreira

Você só cantou bravata
agora vai levar tombo
e vai aprender no lombo
o ensino da chibata.
Aluno que desacata
seu mestre, seu professor
mostra que não tem valor
só serve para apanhar
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Jarcone Vital

Essa sarna nunca vai,
saí dessa desavença,
hoje voçê pede abença,
me chamando de papai,
a sua casa hoje cai,
junto com o seu fedor,
seu moleque traidor,
aprenda a me respeitar,
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Zé Ferreira

Poetazinho nanico
De repertório barato
dê nessa boca um trato
pois só parece um pinico
vá escovar esse bico
Minimizar o odor
diga algo de valor
que a gente possa escutar
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Jarcone Vital

Poetinha sem futuro!
querendo ser menestrel,
nunca conheceu papel,
cresceu escrevendo em muro,
sempre viveu no escuro,
agora quer ser doutor,
tu és um avoador,
que já cansei de pescar,
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Zé Ferreira

Seu versejar é tacanho
e só dá pra pagar mico
sua idéia é de girico,
a poesia é sem tamanho.
A minha imagem arranho
ao lado dum sem pudor
mas a todo pecador
Vem um cão pra atentar.
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Jarcone Vital

Pego você no repuxo,
tiro sua valentia,
irás parir uma cria,
não serei pai desse bucho,
pra você seria luxo,
um filho do seu mentor,
não farei esse favor,
só não vou lhe emprenhar,
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Zé Ferreir
Tô vendo acabar a pilha
desse poeta fracote
Se não podia com o pote
porque pegou na rodilha?
do arco de tordesilha
pra linha do Equador
nunca vi opositor
que pudesse me alcançar
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Jarcone Vital

Minha pilha vai além,
de âmperes e decibéis,
voçê nasceu pra derréis,
não vai chegar a vintém,
eu estou bem mais além,
do vôo alto do condor,
Honduras e el-Salvador,
é onde eu vou te soltar,
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Zé Ferreira

Conhece logo o fracasso
quem me vem com desaforo
seu cantar se torna choro
na potência do meu braço.
Volta pra casa um bagaço
pior do que já chegou
e diz nunca mais eu vou
a Zé Ferreira afrontar
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Jarcone Vital

Esse poeta aprendiz,
querendo cantar de galo,
arrumou foi um entalo,
porque não sabe o que diz,
mando em tu infeliz!
sou o teu amo e senhor,
não canto com perdedor,
Passa pra não enganchar
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Zé Ferreira

Ainda tá pra nascer
aquele que me derrote
só tenho visto frangote
chegar, apanhar, correr.
Por isso posso dizer:
quem à vida tem amor,
a si faz grande favor
em não me desafiar
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Jarcone Vital

Nascestes pra levar pêia,
seu filho de chocadeira,
tu vai sair na carreira,
quando vir a coisa feia,
dou-te pisa de corrêia,
poeta gaguejador,
já que tu nunca prestou,
nem perdão irás ganhar,
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Zé Ferreira

A macaca do repente
ando com ela ensebada
somente pra dar lapada
em poeta insolente.
Quem pisa no meu batente
em tom desafiador,
me saúda com temor
depois do couro provar,
Vem de lá que eu vou de cá
Mostrar quem é cantador.

Jarcone Vital

Meu menestrel Zé Ferreira,
de ti um fã eu já sou,
porém tudo não passou,
de uma grata brincadeira,
nessa terra Brasileira,
és poeta com louvor,
estou sempre ao seu dispor,
por tanto te admirar,
Dá gosto vê-lo versar,
Mostrar quem é cantador.

Zé Ferreira

Caro Jarcone Vital
pra mim foi grande alegria
fazer essa parceria
com um poeta genial.
Pra você não tem rival
reconheço o seu valor
sou seu admirador
isso não posso negar
Dá gosto vê-lo versar,
Mostrar quem é cantador.