APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


quarta-feira, 15 de junho de 2011

A RIBEIRO DE PORTUGUÊS - Naílson


RIBEIRO era uma dessas raras inteligências que ainda existem por aí. Ele era uma espécie de Gramática Ambulante, um Manual de Consulta, uma Enciclopédia. Não, na verdade ele era muito mais do que isso; isso é muito pouco para adjetivá-lo. Substantivá-lo seria melhor, pois Ribeiro não era apenas a qualidade do ser; Ribeiro era o próprio ser. Aliás, até o próprio dicionário o tem como adjetivo e substantivo. Acho que ele era mais do que isso; ele era o verbo (lembra quando Deus fez do verbo a carne?), a conjunção etc.

Lembro-me, como se fosse hoje, de que Santa Cruz, ou melhor, a nossa região, tirava as dúvidas com ele, e ele, sem reticências, pleonasmos, viciosos ou elegantes, era um objeto direto.

Mas ele era muito mais do que esse termo integrante. Em seus discursos, fosse onde fosse: festas, colações, palanques, igreja, não fazia uso de ambigüidades, prolixidades, cacofonias ou quaisquer outras maldades lingüísticas, muito pelo contrário, ele era conciso, muito claro, correto e elegante; ele era Ribeiro.

Professor, poeta, comunicador, católico, vascaíno, apesar de ser tão bem composto, era um sujeito simples; Ribeiro era um termo essencial.

Ele sabia ser uma poesia, uma crônica, um romance ... Em qualquer redação: oficial, escolar ou literária, ele era o tópico frasal, a idéia central, a sinopse do enredo, o tempo, o espaço, o personagem principal; ele era a PALAVRA: a palavra de apoio, a palavra de ação; afinal, ele era a palavra intelectual, e ponto final.

José Naílson de Medeiros Costa