segunda-feira, 31 de janeiro de 2022

ONDE ENCONTRAR O SERTÃO? - Jair Elói de Souza

 


ONDE ENCONTRAR O SERTÃO?


Dizia o Príncipe dos sertanistas, o Mestre Osvaldo Lamartine, que todos nós dessas nesgas aldeãs, carregamos um Sertão dentro de nós. Pois, "O Sertão é o mugido da vaca sentindo o sungado do bezerro apojando em suas tetas";

É o zunir das abelhas a defenderem suas cachopas; é o boquejar noturno do peixe nos açudes; é o marmeleiro murchando em veranicos no inverno, dando coito pras vespas sanguinárias reproduzirem. É sentar quixó pra prender preás; é extrair raiz de mulungu pra fazer cavalete e desafiar o rio abotoado até as beiras;

O Sertão é fazer catimbóias em açude, pra fazer peixe dormir sem frio da cruviana, e fazer as pescarias, pra mandar peixe pro Brejo; é enterrar umbigo junto à porteiras de currais; é curar bicheira com reza no azimute indicado;

O Sertão é um paiol de saudade, a lembrança da cabrocha que fazia da janela, o verso mudo em riso; o cantar de incelências nas noites adentro pra defunto; o clarear de relâmpagos avisando o ribombar de trovões; Latomia de cachorro apanhando de caipora na sexta-feira treze;

O Sertão é o martelo agalopado; é Pinto fazendo verso, lembrando o grande Romano da Mãe d'água; ou mesmo o negro cativo, Inácio da Caatingueira; o dia em que a vaqueirama pegou o boi mão-de-pau, lembrando de Fabião.

O Sertão é muito mais...

J.E.S

Jair Eloi de Souza (Advogado, educador, poeta e prosador)

3 comentários:

  1. É uma pergunta difícil de responder, no entanto,...
    Disse João Guimarães Rosa, através, do Grande Sertão: Veredas, "O Sertão é um mundo", imenso, sem porteiras, onde a vista dá...
    O sertão, longe da civilização do litoral, disse Euclides da Cunha, por meio, d'Os Sertões...
    Portanto, o Sertão, longe dos engenhos, terra árida, difícil de conquistar, então, vieram os agentes: coronel, beato, cangaceiro, e, também, o poeta, primeiro, de forma oralizada e segundo, escrita...
    Lugar que o boi é "adorado", mas, em quantidade, deu poder ao seu dono, e, hoje, é cultura, nesse espaço temporal...

    Um excelente texto do autor...

    ResponderExcluir
  2. Excelente texto. A caneta do escriba trata do sertão com uma linguagem icônica, que reverbera saudade, cheiro e paladar das vivências seculares!... - Professor José da Luz

    ResponderExcluir
  3. Joaomaria.dantas@mail.com31 de janeiro de 2022 18:47

    Quem não conhece o Sertão, procure um dos maiores sertanistas da atualidade nordestina: Dr. Jair Elói se Souza.
    Poucos conhecem o Sertão como ele.

    ResponderExcluir

Comentários com termos vulgares e palavrões, ofensas, serão excluídos. Não se preocupem com erros de português. Patativa do Assaré disse: "É melhor escrever errado a coisa certa, do que escrever certo a coisa errada”