APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


sexta-feira, 18 de novembro de 2016

MEU TÍTULO DE MESTRE - Gilberto Cardoso dos Santos

MEU TÍTULO DE MESTRE

“Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove, e vai após a perdida até que venha a achá-la? E achando-a, a põe sobre os seus ombros, jubiloso; E, chegando a casa, convoca os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida.Lucas 15:4-6

Hoje recebi o titulo de mestre. Está sendo um dia memorável em minha vida simplória. Alguns amigos sugeriram que escrevesse algo a respeito. Mas o que dizer quando somos dominados por sentimentos que nos parecem indizíveis? Sentimos ânsia de verbaliza-los, dar-lhes corpo, mas nos sentimos inábeis.
Estou, naturalmente, muito feliz. Sinto-me como aquele personagem bíblico do livro de Isaías que viu o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficou satisfeito (Isaías 53:10-11). Nadei, nadei, vi nadadeiras escuras ao longo do trajeto, mas atravessei mares dantes não navegados, resisti ao canto da sereia do comodismo e não morri na beira da praia, apesar das ondas contrárias.
Compareci ao momento de apresentação do TCC como ovelha levada ao matadouro. Todavia, para minha grata surpresa, o trabalho foi bem aceito, apesar das necessárias sugestões de acréscimos, correções e supressões. Alegrei-me, em especial, pelas congratulações que recebi dos mestrandos e de outros educadores presentes à sessão. Os membros da banca, com suas incisões pertinentes secundadas por bálsamos de elogios, muito contribuíram para a alegria do momento.
Concluir um mestrado é como chegar ao topo de uma elevada montanha após cansativa e perigosa escalada. Todavia, compensa chegar ali e respirar o ar próprio das altitudes, é impagável poder observar a paisagem ao redor a partir de um novo ângulo. Quando ali chegamos, temos noção do quanto nos elevamos, mas vislumbramos que há montanhas mais altas diante das quais temos a sensação de termos escalado um insignificante monte.
A alegria do momento é passageira, pois é necessário descer dali, voltar à vida comum da planície, encarar a íngreme escala descendente; ainda que, no calor do momento, nos sintamos como Zaratustra, julgando que voltaremos ao vilarejo, imbuídos duma missão especial. Mas demoremo-nos ainda um pouco no alto. Que o sol se detenha por um instante, como aconteceu sob as ordens de Josué.
As palavras que ora escrevo representam um convite à alegria, à minha alegria. À semelhança do homem da parábola posta na epígrafe, ganhei algo mui precioso e quero que comemorem comigo.
O personagem da estória bíblica encontrou uma ovelha preciosa e eu também achei a minha ovelha. Explico.
Alberto Caieiro, uma das vozes de Fernando Pessoa, diz:
“Sou um guardador de rebanhos, O rebanho é os meus pensamentos”.
Entregue aos devaneios poéticos, tinha, antes de dar início a este mestrado um rebanho solto, desordenado; pensamentos que, à semelhança do ocorre com todos, circulavam a esmo na memória, entrando e saindo dos prados do inconsciente. Para fazer este mestrado, tive que ordenar minhas ovelhas, fazê-las submissas, encurralá-las tosquiá-las, enfileira-las de modo a torna-las satisfatórias  às exigências acadêmicas; ovelhas novas precisaram ser geradas e outras necessitaram ser sacrificadas. Obtive, finalmente, a ovelha por excelência, a minha Dolly, e quero que todos os que por mim torceram; todos que de um modo ou de outro me auxiliaram nesta caminhada; todos aqueles que, desprovidos de sentimentos de inveja ou de censura conseguem felicitar-se com êxitos alheios; a estes altruístas, digo: rejubilem-se comigo, pois achei a minha ovelha por excelência, vivamos este momento marcante em minha breve passagem por este mundo.
Um pouco antes de seguir para a defesa do TCC, vi-me inspirado a escrever o seguinte poema:
“A ninguém chameis de mestre”
Disse o Sábio Pregador
Se até os que têm mestrado
Têm limitado valor
Imagine o advogado
Médico ou juiz exaltado
Que é chamado de doutor!

Oxalá o vírus do orgulho, da tola exaltação não venham a estragar o bom funcionamento do Windows Xp de minha mente. Que eu jamais me esqueça da máxima de Emerson, o filósofo, que disse: “Cada pessoa que encontro é superior em algum aspecto sob o qual eu aprendo algo.”

Espero continuar a poder enxergar  os dons de cada um que, quando bem utilizados e exercitados, os transformam em mestres dignos de respeito e admiração; a ler nos traços em braile da mão de um agricultor os títulos que a vida lhe concedeu.


Obrigado a todos – amáveis colegas de mestrado, diletos amigos próximos e distantes, imprescindíveis familiares, idolatrados professores - que sempre torceram pelo meu sucesso!

Drª Valdenides, orientadora, Dr. Sebastião e Dr. Manoel Freire 

Na plateia, Luma: poetisa, atriz e mestra.






Hélio Crisanto, um dos objetos de estudo do meu TCC, declamando.





Assinatura do certificado de mestre.

Santa Cruz, 18.11.2016