APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


terça-feira, 8 de julho de 2014

NUNCA O BRASIL GASTOU TANTO PRA TÃO GRANDE GOLEADA - Gilberto Cardoso dos Santos



Que grande decepção
Que inesperada tristeza
A Seleção com certeza
Trouxe pra nossa nação
O time da Alemanha
Com habilidade estranha
Dominou toda a jogada
O povo teve um espanto
Nunca o Brasil gastou tanto
Pra tão grande goleada.

A ausência de Neymar
Decerto influenciou
Mas nunca o Brasil jogou
De maneira tão vulgar
Eu vi o povo chorando
E muitos se retirando
No início da jogada
grande foi o desencanto
Nunca o Brasil gastou tanto
Pra tão grande goleada.

Foi no início do jogo
Não houve muita demora
Em menos de meia hora
O Brasil sentiu o fogo
Jogavam feito criança
Já não havia esperança
Com cinco gols de entrada
Enorme era o quebranto
Nunca o Brasil gastou tanto
Pra tão grande goleada.

Na história das seleções
Esse jogo vai ficar
E o povo vai se lembrar
De tão tristes emoções
Quanta gente que voltou
Com os fogos que comprou
E a bandeirinha arriada
Cada qual para o seu canto
Nunca o Brasil gastou tanto
Pra tão grande goleada.

Grande foi o prejuízo
Que teve o nosso país
Pois esse jogo infeliz
Tirou do povo o sorriso
Quanto tempo despendido
Quanto dinheiro envolvido
Muita grana foi usada
A gente nem sabe quanto
Nunca o Brasil gastou tanto
Pra tão grande goleada.

Que o povo pare e reflita
Não se entregue ao pessimismo
E abandone o fanatismo
Que ao país tanto agita
Ricaços espertalhões
Manipulam multidões
Lucram com a empreitada
Ali não há nenhum santo
Nunca o Brasil gastou tanto
Pra tão grande goleada.

O Brasil tomou na copa
Se julgando uma princesa
A mocinha indefesa
Teve que enfrentar a tropa
Sete gols de humilhação
Contra um sem expressão
Da seleção derrotada
Em um jogo sem encanto
Nunca o Brasil gastou tanto
Pra tão grande goleada.

O povo, feito Tomé
Não queria acreditar
Mas tinha que encarar
Essa derrota de pé
Grande foi o pesadelo
Não havia mais apelo
Parecia uma piada
se desfez todo acalanto
Nunca o Brasil gastou tanto
Pra tão grande goleada