APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


domingo, 21 de outubro de 2012

A CIÊNCIA E A VIDA ETERNA - Gilberto Cardoso dos Santos

Caros leitores e leitoras:

Quanto tempo de vida ainda nos resta? Não sabemos com exatidão mas podemos ter uma ideia aproximada de nosso fim.

É triste ter que se conformar com a ideia de que um dia morreremos, não é mesmo?

Os  cientistas, porém, falam de um tempo em que a morte deixará de nos amedrontar. Os males da velhice também estariam com os dias contados. Aquilo que é prometido pela religião é prometido hoje pela ciência. E não irá demorar, dizem muitos deles.

Ray Kurzweil, considerado uma das mentes mais geniais deste século, vem se preparando através de uma alimentação rigorosa e exercícios adequados para chegar a esse momento que nos levará ao que ele chama de a Singularidade, num tempo muito próximo.

Vejam no vídeo abaixo se a ciência é capaz de oferecer uma esperança mais sólida para a possibilidade de vida eterna que a religião. Depois opinem a respeito. O tema é sério.

PODEREMOS VIVER PARA SEMPRE?

5 comentários:

  1. Gilberto, acredito acima de tudo em Deus que criou todas as coisas. E como somos a maior de todas as Suas criaturas, acredito que Ele tenha nos dado inteligência para irmos além. Prova disso são as inúmeras descobertas científicas que temos visto diariamente. Gostaria de poder alcançar esse dia, de poder viver bem mais, ou para sempre com essa descoberta. Porém, sei que mesmo acreditando em tal possibilidade, isso só servirá para os magnatas, para os donos do dinheiro, como no filme: "O Preço do Amanhã".

    ResponderExcluir
  2. É fato: Tudo que nasce, um dia morrerá.
    Caso isso uma dia chegue a acontecer, restarão no mundo apenas os ricos que sem os pobres não sobreviverão.Apenas um é o senhor da vida.

    ResponderExcluir
  3. Eu não gosto desse aparato todo , prefiro esse curso natural que existe hoje: nascer , viver , morrer: tenho até certa curiosidade com o outro lado ou se existe realmente outro lado. E, sinceramente, de que adianta demorar tanto por aqui se a cada dia o ser humano fica mais chato, egoísta e sujão?

    ResponderExcluir
  4. Gilberto,

    Gradativamente aumentaremos nossa expectativa de vida. Tem sido assim desde que surgimos neste planeta. Com melhor alimentação e exercícios, chegaremos aos 120, 130...150 anos. Mas é difícil imaginar que o ser humano tenha condições psíquicas e emocionais para aguentar uma existência tão longa, principalmente porque a falta de sentido e propósito da vida, em menor ou maior grau, atinge todos. Todavia posso estar errado (e quero estar!), e o ser humano, conforme o vídeo, chegará triunfante aos 1000 anos; talvez, com a “longa longevidade”, adaptemo-nos psicológica e fisicamente a todas as agruras, principalmente as físicas, que nos atingem indiscriminadamente quanto mais vivemos.

    ResponderExcluir
  5. Se conseguirem cura para morte, depois vão ter que reinventá-la. Enquanto isso,desculpem-nos pela falha: o pastor Valdemiro Santiago que cura em nome de Jesus procurou o Hospital Albert Einstein em São Paulo para resolver um problema no joelho. Já o ator que aqui renasce numa sala de cirurgia e pra valer, participou de toda encenação usando óculos: antes e pós. Conclusão: enxergamos o máximo e não atentamos ao mínimo, ou engolimos um elefante e nos engasgamos com um mosquito.

    ResponderExcluir

Comentários com termos vulgares e palavrões, ofensas, serão excluídos. Não se preocupem com erros de português. Patativa do Assaré disse: "É melhor escrever errado a coisa certa, do que escrever certo a coisa errada”