APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


segunda-feira, 1 de abril de 2013

DUVIDO TER UM VIVENTE PRA MENTIR MAIS DO QUE EU

Adriano

Na lua eu pisei primeiro
Visitei outros planetas
Viajei o mundo inteiro
Desviei muitos cometas
Como bom aviador
Guiei disco-voador
De ET que se perdeu
Vi ovni na minha frente
DUVIDO TER UM VIVENTE
PRA MENTIR MAIS DO QUE EU.

 Gilberto

Na Páscoa eu encontrei
um coelho muito novo
duma raça que não sei
estava botando um ovo
sua pata apertei
uma cenoura lhe dei
ele me agradeceu
saiu pulando contente
DUVIDO TER UM VIVENTE
PRA MENTIR MAIS DO QUE EU.


 Hélio Crisanto

No tempo em que ensinei
Fui professor de Platão
George Bush eu eduquei
Pra Bill estendi a mão
Em Olinda ensinei frevo
Na Bolívia elegi Evo
Pra mandar no povo seu
No Japão fui presidente
Duvido ter um vivente
Pra mentir mais do que eu



 Adriano

Na brigada eu sou ligeiro
Sou liso feito sabão
Já briguei com cangaceiro
Pior do que Lampião

Já enfrentei e venci
Jackie Chan e Jet Li
Bruce Lee vendo tremeu
Que chega batia o dente
DUVIDO TER UM VIVENTE
PRA MENTIR MAIS DO QUE EU.


 Gilberto

Quando fui ao Vaticano
agendei por telefone
fazia parte do plano
almoçar com Berlusconi
Vi o papa face a face
pedi que renunciasse
e ele me obedeceu
quase imediatamente
DUVIDO TER UM VIVENTE
PRA MENTIR MAIS DO QUE EU.



Jarcone Vital

Roma inteira me adorou 
Desarmei Napoleão 
Os cabelos de sansão 
Fui eu mesmo quem cortou 
O herói grego que matou 
O minotauro fui eu
Atribuíram a teseu 
Um garoto adolescente 
Duvido ter um vivente 
Pra mentir mais do que eu 

 Zenóbio Oliveira
Viajei o mundo a pé,
Na África fiz renome,
Pois acabei com a fome,
Da Ruanda e da Guiné,
Na Europa eu fiz até,
Reforma no Coliseu,
Na Suécia fiz ateu,
Se converter para crente,
Duvido ter um vivente,
Pra mentir mais do que eu.


 Adriano
Certa vez eu fui caçar
No seio da Amazônia
Foi cem noites sem deitar
Não pense que foi insônia
Estava em perseguição
No encalce de um leão
Que quando me viu correu
Montado numa serpente

DUVIDO TER UM VIVENTE
PRA MENTIR MAIS DO QUE EU.

Kiko Alves
Nunca tive uma ressaca 
Nem fiquei pra saideira 
Briga pra mim só de faca 
Nunca fui de brincadeira 
Jamais pequei por vizinha 
Nunca olhei pra uma calcinha 
Nem chorei com dor de dente 
Peido meu nunca fedeu 
DUVIDO TER UM VIVENTE 
PRA MENTIR MAIS DO QUE EU 

 Gilberto

Quando ensinei  Sivuca

A tocar acordeon

Xuxa beijou minha nuca

Me chamou de  bicho bom

Aceitei os seus carinhos

Fui dar aula a Dominguinhos

Com esforço ele aprendeu

A tocar divinamente

DUVIDO TER UM VIVENTE

PRA MENTIR MAIS DO QUE EU.

 Adriano

Trabalhando de pedreiro
Construí a Casa Branca
Fui de Petra o engenheiro
E cavei com alavanca
A base do Taj Mahal
Trabalhei até o final
Na obra do Coliseu
Sozinho sem ter servente
DUVIDO TER UM VIVENTE
PRA MENTIR MAIS DO QUE EU.

 Hélio Crisanto

Procurando confusão 
Lancei bomba na Coréia 
Botei fogo num vulcão 
Pra incendiar Pompéia 
Fui um valente guerreiro 
Nas tropas de Conselheiro 
Na guerra em seu apogeu 
Lula foi meu confidente 
Duvido ter um vivente 
Pra mentir mais do que eu 

 Hélio Alves

Estive nas guerras mundiais 
De iroshima fui guerreiro 
Atravecei os oceanos 
Nao sei o que é ser derradeiro 
Nunca perdi uma briga 
Matei um por me roubar um pingente 
E outro por me chamar de plebeu 
DUVIDO TER UM VIVENTE 
PRA MENTIR MAIS DO QUE EU

 Gilberto:
Eu vi Silas Malafaia
Em uma parada gay
Tava com Marcos de saia
Abri a Bíblia e preguei
Os dois se emocionaram
Toda pintura tiraram
E Silas me prometeu:
Sou homem daqui pra frente!
DUVIDO TER UM VIVENTE
PRA MENTIR MAIS DO QUE EU. 

 Adriano
Cruzei os mares do Leste
Nadando só c’uma mão
Escalei todo Everest
Sem usar nem um cordão
Fui do Brasil ao Guiné
Descalço e andando a pé
E quando o Japão tremeu
Tirei criança de enchente
DUVIDO TER UM VIVENTE
PRA MENTIR MAIS DO QUE EU.

Participei da tramóia,
De Páris com Menelau,
Com um cavalo de pau,
Acabei com a paranóia,
Roubei Helena de tróia,
Dos braços do povo aqueu,
Fugi pelo mar Egeu,
Carregando esse presente,
Duvido ter um vivente,
Pra mentir mais do que eu.

 Gilberto:
Caba véi mais mentiroso 
é o Zenóbio Oliveira 
quis dar uma de gostoso 
e Helena foi traiçoeira 
preferiu ficar comigo 
mas eu lhe dei um castigo 
e ela enlouqueceu 
sentindo paixão ardente 
duvido ter um vivente 
pra mentir mais do que eu.

 Hélio Crisanto
Certo dia eu fui pescar 
Na Lagoa do Bomfim 
Numa maré de azar 
Só peguei um surubim 
O bicho me deu canseira 
E um trator de esteira 
Não pode com o peso seu 
A luta foi comovente 
Duvido ter um vivente 
Pra mentir mais do que eu

Adriano

No dia que eu nasci
Após um parto normal
Pulei da cama e corri
Lá dentro do hospital
E para me dominar
Foi obrigado chamar
Papai mais um irmão meu
Mais um bocado de gente
DUVIDO TER UM VIVENTE
PRA MENTIR MAIS DO QUE EU.



 Gilberto:

Já fiz tanta estripulia
Quem nem parece verdade
Dei aula de poesia
A Carlos Drummond de Andrade
Enquanto estava no quarto
Perto da sala de parto
Quando minha mãe nasceu
Não fui um pai negligente
Duvido ter um vivente
Pra mentir mais do que eu.



 Hélio Crisanto

Eu passando numa estrada
topei numa cascavel
sem ter medo da danada
pus dentro do meu chapéu
a danada dava bote
mirando no meu cangote
como quem diz já morreu
e eu arranquei-lhe o dente 
duvido ter um vivente
pra mentir mais do que eu




João Bezerra:
Hélio hoje é violeiro
Agradeça a minha pessoa
Ta ganhando muito dinheiro
Ensinei tudo numa boa
Comprou carro importado

A poesia lhe dar bons resultados
Ta vivendo seu apogeu
E isso me deixa contente
Duvido ter um vivente
Pra mentir mais do que eu







 Adriano

Hoje toda educação
No Brasil é exemplar
Professor ganha um milhão
Todo mês pra trabalhar
Político não faz trapaça
Defende o povo de graça
Nunca mais ninguém morreu
A saúde é excelente
DUVIDO TER UM VIVENTE
PRA MENTIR MAIS DO QUE EU.

 Gilberto:

Políticos são honestos
ganharam sem falcatruas 
e circulam pelas ruas
com vestuários modestos
não há mais assassinatos
e em nosso bairros pacatos
a violência morreu
todo mundo tá contente
DUVIDO TER UM VIVENTE
PRA MENTIR MAIS DO QUE EU.

 Hélio
Eu me encontrando raivoso 
Esmurrei um porco espinho 
Já fui daqui pra trancoso 
Nas asas de um passarinho 
Viajando pelos ares 
Eu fui parar em antares 
Voando com Galileu 
Numa nava bem potente 
Duvido ter um vivente 
Pra mentir mais do que eu