APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


quinta-feira, 21 de abril de 2011

MALHAÇÃO DO JUDAS - Hélio Crisanto


Jesus Cristo um ser onipotente
Soberano da paz e da justiça
Que abomina a guerra e a cobiça
Tem amor ao herege e ao descrente
Só pregou a bondade pra essa gente
Mesmo assim morreu crucificado
Perecendo na cruz foi vesgastado
Mas não deixa de amar a todos nós
Se Jesus perdoou o seu algoz
Quem sou eu pra querer vê-lo malhado

autor: Hélio Crisanto

A bela estrofe de Hélio lembrou-me o seguinte:


JUDAS EM CORDEL (José Pedrosa - RN)

Judas era um sujeito
vagabundo e trambiqueiro,
estuprador de mulheres,
mentiroso e cachaceiro,
capaz de vender a mãe
por muito pouco dinheiro.

Por espancar uma cega
foi preso em Cabrobó,
por seqüestrar um menino,
deu-se mal em Caicó
e quase perdeu a vida
assaltando em Mossoró.

Jesus até que sabia
desse seu procedimento,
mas tinha a esperança
de um grande arrependimento,
no entanto, acabou traído
por esse cabra nojento.

Depois que Jesus morreu
Judas provou ser sacana:
recebeu 30 reais,
encheu a cara de cana,
agarrou-se a rapariga,
dançou música baiana.

Disse ser aquele dia
o melhor por ele vivido
e depois quando estava
já quase no chão caído
afirmou que Jesus Cristo
pediu para ser traído.

No outro dia acordou
com uma tremenda ressaca,
subiu num pé de jurema
e disse: "a carne é fraca!",
escorregou e morreu
sentado numa estaca