APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Natal e Papai Noel. Existe algo em comum? - André Soares



Natal e Papai Noel. Existe algo em comum?

Chegada à penúltima semana de dezembro lembra-me da época em que
estudava do Instituto Cônego Monte, e das lições sobre o grande acontecimento
natalino, a vinda ao mundo do “Salvador da humanidade”. Em uma sociedade Cristã,
seria natural aproveitarmos tal data para propagandearmos a figura de Jesus Cristo,

nascido supostamente na região do Israel atual, há cerca de 2010 anos.

Há uma sÉrie de fatores que servem para questionarmos a exatidão das datas,
dos tais um deles é o fato do calendário o qual estabelece o ano 2011, como presente,
foi criado por volta do ano 1100 d.C., daí a palavra “supostamente”, que causa certo
espanto quando falada assim sem arrodeios, mas ela deve ser empreendida neste caso,
pois há uma série de incoerências quanto às exatidões que a ciência histórica necessita
para apreender um acontecimento como “verdadeiro”.

O profeta Jesus de Nazaré existiu isso é fato, há uma sÉrie de
documentos que comprovam, entretanto a figura do natal há muitos anos já deixou de
ser o Cristo, e passou a ser um homem de trajes vermelhos, barbudo e um pouco acima
do peso (sic). Uma das pessoas que mais ajudou a dar força à lenda do Papai Noel foi
Clemente C. Moore, um Literato americano que publicou um poema entitulado Uma
visita de São Nicolau, em 1822, direcionado para seus filhos. Neste poema foram
imbuidos no imaginário dos leitores as figuras mitológicas das renas, do trenó e dos
bons atos executados por um bom homem. A lenda pode ter se baseado em parte em
contos hagiográficos sobre a figura histórica de São Nicolau. Uma história quase
idêntica é atribuída no folclore grego e bizantino a Basílio de Cesaréia. Contudo,
enquanto São Nicolau era originalmente retratado com trajes de bispo, atualmente
PAPAI NOEL do CAPITALISMO é geralmente retratado como um homem
rechonchudo, alegre e de barba branca trajando um casaco vermelho com gola e punho
de mangas brancas, calças vermelhas de bainha branca, cinto e botas de couro preto.
Essa imagem se tornou popular nos EUA e Canadá no século XIX devido à influência
da Coca-Cola, que na época lançou um comercial do bom velhinho com as vestes
vermelhas. Daí o amigo leitor questionaria: O que tem A COCA-COLA com isso?!!!
Tudo! Absolutamente Tudo! enquanto aqui em Santa Cruz, na época do natal
experiementamos um tempo de sol, com temperatura na casa de 28°C a 38°C e com
isso ém favorecida a venda da bebida que é refrescante por excelência. Entretanto na
região da américa do Norte e Europa, nessa época o inverno é rigoroso!!! Eu sempre
achei muito engraçado ver os comerciais onde os ursos bebiam coca cola em meio a
uma montanha de gelo e não entendia, pois não fazia sentido, eu estava correto desde
sempre!!!


O Alemão Thomas Nast serviu de base para alavancar as vendas da bebida
no periodo natalino, Nast havia criado em 1886 a figura do Papai Noel com roupa
vermelha para a revista Harper’s Weeklyss Papai Noel ou Pai Natal até então era
representado com roupas de inverno, porém na cor verde (com detalhes prateados ou
brancos), tipico de lenhadores. O que ocorre é que em 1931 a empresa de bebidas Coca-
Cola realizou uma grande campanha publicitária vestindo Papai Noel (ou Pai Natal)

ao mesmo modo de Nast, com as cores vermelha e branca, O QUE FOI BASTANTE
CONVENIENTE, JÁ QUE ESTAS SÃO AS CORES DE SEU RÓTULO. Tal
campanha, destinada a promover o consumo de Coca-Cola no periodo frio , fez um
enorme sucesso e a nova imagem de Papai Noel espalhou-se rapidamente pelo mundo.
Portanto, a Coca-Cola contribuiu para difundir e padronizar a imagem atual, mas não
é responsável por tê-la criado totalmente. A análise que faço com informações apenas
de memória, das inumeras discussões que já presenciei sã apenas para registro, poderia
enumerar diversos fatores que comprovam que o nascimento de Jesus não aconteceu em
dezembro, basicamente porque “dezembro não existia!”o calendário não era esse e neste
mês o frio esperimentado em Belém da Galiléia não permitiria que um menino nascesse
numa estrebaria. O Papai Noel foi criado para vender o Natal! Por força do capitalismo
monopolista que busca o lucro exorbitante em todos os seus empreendimentos. Cabe a
cada um fazer o natal que lhe convier, prefiro apenas aproveitar o feriado e o 13° para
relaxar com minha familia, os mitos e os costumes são todos vaidade! Já diria o profeta
Jeremias...

André Soares

Graduando do curso de Licenciatura em História Unp-Natal Rn

Email: a.souza.soares@hotmail.com