APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


terça-feira, 27 de agosto de 2013

SEJAM BEM-VINDOS, CAMARADAS CUBANOS! - Gilberto Cardoso dos Santos


Ao contrário da potiguar Micheline Borges, jornalista que envergonha a categoria e precisa, urgentemente, de uma cirurgia para livrar-se daquilo que mais a prejudica: a língua; ao contrário dos médicos cearenses que recepcionaram com vaias no aeroporto ao médico negro; tenho a melhor das expectativas em relação à vinda de médicos cubanos. Não sei se vêm da forma certa, mas chegam no momento certo. Portanto, sejam bem-vindos.

O índice de mortalidade infantil em Cuba equivale ao de países de primeiro mundo. Nenhum outro país latino americano tem uma medicina preventiva tão desenvolvida e com resultados tão satisfatórios.

Trata-se de profissionais acostumados a driblar adversidades, a improvisar e a fazer o máximo dispondo do mínimo. São pessoas capacitadas, dignas de todo nosso apoio e carinho. É como disse o médico Ricardo Palácios:
 "[...] a pior ameaça que os cubanos representam é que podem dar certo. Porque os cubanos podem demonstrar que a população não necessita de grandes hospitais de alta tecnologia, mas de médicos acessíveis que estejam ao seu lado."  (http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/07/os-medos-dos-medicos-brasileiros.html)

Eles deram certo em outros países.

"No último Revalida, os médicos cubanos e venezuelanos superaram os brasileiros (http://bogdopaulinho.blogspot.com.br/2013/08/medicos-brasileiros-em-sexto-lugar-no.html).

Isso não seria necessário se o tratamento médico no Brasil não fosse tão precário e não tivéssemos centenas de municípios sem médico. Adoecer ou acidentar-se em pequenos municípios brasileiros é muito perigoso, mesmo naqueles que já têm médicos. Se a vinda de médicos estrangeiros é um mal, muito maior é carência que temos destes profissionais em mais de  seiscentos municípios brasileiros. Dos males, o menor.