APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores)

A APOESC (Associação de Poetas Escritores Simpatizantes e Colaboradores), criada em 03.2010 em Santa Cruz -RN, existe para congregar amantes da cultura, apologistas e produtores da arte da palavra.


sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Os Reis no Lixo – Presentes na Memória! - Marcos Cavalcanti


Assistindo hoje a uma reportagem da Televisão Espanhola não pude deixar de lembrar do que talvez tenha sido a minha maior tristeza vinculada às memórias que tenho de minha passagem pela Casa de Cultura Popular. Explico-me. A reportagem falava das figuras bíblicas dos três Reis Magos, Baltazar, Gaspar e Belchior, que na Espanha gozam de muito prestigio no dia de sua comemoração. Lá, eles estão por toda parte, substituindo e representando com muito mais originalidade a figura do Papai Noel. Segundo entendi, é neste dia (06 de janeiro) que as crianças recebem brinquedos de seus pais, numa tradição que nos  remete aos presentes que os magos teriam levado para o menino Jesus, conforme narram as escrituras.
 A tristeza veio da notícia que Jales Costa me dera no ano passado, quando perguntei onde estavam os Reis Magos que havíamos feito. Ele  me respondeu: foram jogados no lixo. Fiquei sem palavras naquele momento. Sei que pode parecer estranho que um ateu convicto como eu possa ficar triste com uma notícia destas, mas o fato é que fiquei, não por qualquer razão ou escrúpulo religioso, evidentemente que não, já que não os possuo, mas sim pelo que significou a construção deste presépio em tamanho natural, que por muito pouco não foi matéria no jornal Nacional, a partir de uma articulação com o amigo Buca Dantas, cineasta e jornalista.  
Lúcio Lustosa foi o seu grande arquiteto, aceitando o desafio de construir algo que atraísse, por sua beleza, a atenção e os olhares dos santacruzenses e de outras pessoas para a Casa da Cultura durante o período natalino. Lustosa projetou e trabalhou intensamente com uma pequena equipe durante uns dois meses ou mais. O trabalho às vezes entrava pela noite  e o que mais nos torturava era a incerteza se os recursos conseguidos seriam suficientes para concluí-lo. Finalmente o concluímos e no Natal de 2005 fizemos uma grande festa de  inauguração, marcada pela apresentação do coral do Peti e do Boi do Oriente de Antônio da Ladeira. Os três Reis Magos, Maria, José, o menino Jesus, um burrinho e uma vaquinha constituíam o presépio, que teve também uma cabana para abrigá-los do sol e da chuva. Os personagens foram construídos com armação em arame e cobertura de papel reciclado, com massa corrida por cima fazendo o acabamento e a pintura que lhes deram um colorido todo especial, ainda mais ressaltado por uma iluminação interna que lhes emprestavam uma áurea singular.
O grande mérito desse projeto foi o de arrecadarmos brinquedos para doação à brinquedoteca do Hospital Universitário Ana Bezerra. Para tanto fizemos uma grande caixa de presente que era posta ao lado da manjedoura e as pessoas vinham e depositavam nela o seu presente.  Viajamos com o presépio para as cidades de Lajes Pintadas e Campo Redondo, onde a generosidade das pessoas ajudaram a encher a grande caixa com brinquedos novos e usados. Era tocante ver criancinhas trazendo brinquedos para depositar na caixa, e em seguida irem tirar fotos com os pais junto às imagens, sendo o burrinho e a vaquinha, os mais procurados por eles para as fotos.
O presépio foi restaurado no ano de 2006 e acho que chegou a ser instalado nos anos seguintes em frente à Casa da Cultura, mesmo visivelmente deteriorados pela ação do tempo e pela falta de manutenção. Hoje, graças à insensibilidade de quem não os soube conservar, repousam desfeitos no lixão da cidade, talvez a recordar a estrela que os guiou à brinquedoteca do Hospital Ana Bezerra, naquele 06 de janeiro de 2005, em que fizeram a alegria das crianças e dos brinquedistas que acolheram os seus presentes, ouro, incenso e mirra em forma de brinquedo para amenizar a dor de crianças internadas naquela instituição.


 Marcos Cavalcanti